Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Das amizades e reflexões de final de ano.

Das amizades e reflexões de final de ano.
Semana passada, numa dessas tardes de férias em que você tem tempo de sobra para se perguntar onde foram parar os seus “amigos”, recebi mensagem de um que queria, apenas saber como eu estava. Respondi alegremente e, depois fiquei pensando.
Aliás, época de final de ano, propicia nossa reflexão sobre a vida e aqueles que chamamos de "amigos", conhecidos e por quem nutrimos certo respeito. Verifico, há um bom tempo, segundas intenções de muitas pessoas em muitos aspectos: "Te admiro" e blá blá blá e, depois de um tempo? Sumiço, fofoca típica de gente problemática e ausência.
Enfim, depois de mil elogios, “afinidades” e conversas costuma vir a total ausência e aquele hipócrita e abjeto: "Ando correndo, mas vamos marcar algo!". E nunca marca, aliás é mais fácil Jesus voltar do que o tal de "marcar algo" sair do "campo das ideias".
Isso sem contar que não se procura o "amigo" para saber se ele está bem ou algo assim: só se procura para esclarecer dúvidas, consulta, desabafos ou algo afim. Eu sou uma pessoa maleável, bajulada por muitos, mas que confia em poucos, enfim, confio em que se faz presente não pelo meu ofício, por necessidade ou interesse, mas por respeito, afinidades.
Não, eu não sou o tipo de pessoa que curte visitas fora de hora, junções diárias e tal. Aliás, onde muito se junta, muito se fala da vida alheia e, confesso, está aí algo que quando se mostra frequente, me anoja! Todavia, eu gosto de diálogos, gosto de pessoas, gosto e sou leal com quem trago ao meu mundo.
Não sou crédula, não sou "da igreja", não sou do grupo tal, da turma tal, tenho muito trabalho, leituras pendentes, textos atrasados, seriados e filmes para assistir para perder meu tempo com quem gosta de falar de pessoas, mas gosto de pessoas sinceras, alegres, independentes e bem resolvidas, mas, vejo, a cada dia, quão raros são os verdadeiros amigos e aqueles em quem podemos confiar!
Enfim, o amigo aí hoje me fez sorrir e nunca, nunca me pediu favor algum! Francamente? Foi isso o que mais aprendi na vida: ame e valorize quem lhe estima sem que jamais precise de você, porque o resto... Ah, mande o resto se lascar!
Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 22 de dezembro de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário