Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Faça por prazer ou não faça!

Faça por prazer ou não faça!

Ando numa fase extremamente questionadora e de incentivo ao questionamento, a reflexão, ao pensar. Vivemos em um mundo em que fazemos inúmeras coisas sem pensar, em que "ingerimos" o que nos é jogado sem nada indagar e, mais, tomamos uma série de atitudes sem nem ao menos termos uma opinião pessoal a respeito delas.
Falemos de vaidade, de beleza. Pois bem, sabemos que existem padrões de beleza que nos são impostos, pelas revistas, pela televisão, pela internet. A "onda" do momento não é ser magro, é ter muita, muita massa magra. Academias de ginástica lotam, dietas mirabolantes surgem, médicos esteticistas e cirurgiões plásticos arrecadam muito.
Mas, será que as pessoas que a isso recorrem sabem por que o fazem? Ou será que fazem, para ficar como está na moda "ser"? Será que fazem, porque se amam com super coxas, glúteos e musculatura mega definida, ou fazem porque o atual padrão de beleza isso exige? Será que são felizes com dietas restritivas e acordando cedo para erguer peso ou ficam contentes, porque irão atrair olhares, por terem um shape da "hora"?
Será que malham para manter a saúde física ou para ter um corpo, que a maioria, tem como "atraente"? E o celular que você sonha ter, lhe fará mais feliz ou você só o deseja porque é "moda" e ele irá lhe fazer sentir-se abastado, poderoso? E o carro que você financia em incontáveis vezes é uma necessidade real para a sua alma ou mais uma urgência inventada? "Todos têm, todos fazem, quem tem é bem julgado, quem 'é' (na aparência) assim é bem amado e bem quisto, então quero ter, fazer e ser!".
Estranho, acho que simplicidade, autenticidade, humor, alegria e atitudes elegantes e empáticas deveriam virar moda! Acho que tratar a alma, a mente e seus embates psíquicos é algo mais útil do que cuidar desesperadamente da aparência do que a terra irá engolir. Você acha que por ter o corpo mega malhado será uma mulher amada e admirada? Querida, se ame, se curta!
Ninguém gosta de uma pessoa cheia de "mimimi" na mesa, na cama ou na roda de happy hour no bar. Divirta-se, viva o momento, se solte: na mesa, na cama, na vida! Liberte-se. Faça o que você realmente gosta, porque é feliz fazendo e não para se adequar à um padrão que em anos irá mudar. Comprar? Carro, celular, roupas? Compre, porque você gosta e necessita, não para aparentar que é bem sucedido.
O primeiro indício da realização (aquela que cremos que os bem sucedidos possuem) é o sentir-se bem na própria pele sem precisar pensar no que os outros irão falar. O bem sucedido não se importa com o estado civil, com a família, com a casa, com o carro, com as roupas que o mundo espera que ele tenha, simplesmente, porque ele é extremamente feliz sendo ele mesmo e vivendo como deseja! Ser feliz é ser livre e ser livre é não se importar com as opiniões alheias, ser livre presume amor: amor a si mesmo, amor a própria vida e não a forma que a sociedade deseja que se viva.

Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 14 de dezembro de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário