Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Bettyfariando.

Bettyfariando.

Eis que minha mãe acabou de falar que acha horrível essa mulherada de bunda grande e coxas e pernas imensamente grossas. Na visão dela são mulheres desproporcionais e gordas na “parte de baixo” do corpo.
Lembrei-me da polemica causada pela atriz Betty Faria em seu comentário infeliz. Sim, infeliz, mas muito “dramatizado”! E se ela tivesse dito que tem repulsa a gente “seca”, causaria o mesmo impacto? Sinceramente, acho que é muito “mimimi” e concordo com a velha senhora quando ela, rebatendo as criticas, disse que o país está um caos e que um comentário não deveria ter tanta repercussão.
Só falta o senado querer criminalizar a tal da “gordofobia” agora! Ela disse também, na reportagem, que sempre lutou para não ser uma “velha gorda”, bem, deve ter se sacrificado demais e isso é um problema dela!
Eu, pessoalmente, não tenho repulsa a nenhum tipo de corpo, só sei que me odiaria se eu fosse desproporcional. Porque, como minha mãe, eu gosto de simetria, de proporcionalidade. Esses corpos que muitos acham lindos e “gostosos” eu acho terríveis!
Coxão, pernão, bundão excessivamente malhados e cintura fina, por exemplo. Sim, acho feio. Acho que proporcionalidade e equilíbrio é fundamental na beleza feminina de forma que acho muito lindas as gordinhas “parelhas”.
Vejo que, atualmente, o gosto da mulherada que malha feito louca e o de alguns homens está mais para "homem com clitóris" do que para mulher elegante, bela e simétrica! Eu acho péssima essa modinha! Acho terrível, tenebrosa! Betty Faria não gosta de gordas, eu não gosto de exageros musculares. Acho tenebrosos! 
Desproporcionalidade me lembra algo como “elefantíase” e eu não curto. Sempre disse que meu ideal de beleza corporal feminina era a Deborah Secco e Juliana Paes, passou daquilo, pra mim, é exagero. É o meu gosto, poxa! Tá, agora serei apedrejada por isso?
Ah, para né povo?! Cada um tem o direito de gostar e de falar o que gosta sem ser taxado como preconceituoso. Existem muitos problemas sérios para uma “mera questão de gosto” causar polemica. Cada um tem seu gosto e suas predileções e o preconceito está é na cabeça de quem vê “preconceito” em tudo.
Ninguém é obrigado a achar a gorda bonita, a magra bonita, a musculosa bonita. E ninguém é obrigado a ser hipócrita e dizer que acha. Chego a conclusão de que estamos vivendo na era do “drama”. Uma simples afirmação, por mais estupida que seja, ecoa Brasil a fora.
Não estou aqui dizendo que a atriz foi feliz na manifestação dela, não porque ela não gosta de gordas, mas pela forma “nojentinha” com que ela se manifestou. Só por isso. De toda forma, ainda que eu não concorde com muitas coisas, sempre defenderei o direito alheio de falar.

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 18 de setembro de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário