Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Mulheres: apoderem-se!

Mulheres: apoderem-se!

Está na moda a palavra “empoderamento”, significando a necessidade de a mulher apoderar-se de si, de suas vontades, de suas opiniões, de sua vida e, enfim, tornar-se poderosa! Quer saber?! Eu acho é tarde!
Fui educada numa família constituída, na maioria, por mulheres independentes. No entanto, minha mãe que foi independente até os 30 anos e que por “amor” deixou de ser. Deixou a faculdade de Matemática no ano da conclusão (formatura) e deixou para trás quase 12 anos de trabalho no magistério.
E o “amor” dela foi “eterno” por 27 anos em que, em que pese, haja existido amor, houve muito silencio em prol da dependência econômica. Como se erigir contra opiniões e atos tidos como estúpidos do marido que paga o que a esposa come, veste, fuma, bebe?
Acho que o primeiro passo para o empoderamento é a independência intelectual do machismo, enfim, o amor próprio da mulher, o segundo e igualmente indispensável é a independência financeira.
Se um chefe manda nos empregados, porque, pagando-lhes o seu salário é a eles hierarquicamente superior, um marido acabará, infelizmente, exercendo poder de comando sobre a esposa que come e se veste com o dinheiro dele. Portanto, queridas jovens cujo sonho é casar com homem rico: “sejem menas”! (Uso um português tão equivocado quanto a sua ideia e sonho estúpidos).
Não importa se o marido é mais rico, se ganha muito mais que você! Você pode ganhar qualquer valor incluso, até mesmo, na faixa de isenção de imposto de renda, o que você não pode é ter um provedor dormindo ao seu lado. Alguém que sustente todos os seus gastos.
A dominação do homem sobre a mulher diminuiu muito ao longo da historia na medida em que as mulheres saíram da posição de mães de família e “donas do lar” para o mercado de trabalho. Isso por quê? Porque mulher que se sustenta não precisa ser obediente, fica porque ama e é respeitada ou salta fora e muda de parceiro.
O marido ser bem sucedido pode ser admirável, afinal, é prazeroso para uma mulher independente ver que tem, ao lado, um homem inteligente, ambicioso e competente no que faz. Todavia, independente disso não permita que ele lhe sustente. Presentes, agrados, ou seja lá o que for podem ser validos, até mesmo românticos e necessários, mas pagar o que você come, as calcinhas que veste e o absorvente que usa, em pleno 2015, é inadmissível!
E, se você admitir, compreenda: ele se sentira no direito de dizer que você come demais, usa calcinhas demasiado caras e que seu absorvente intimo não oferece um “custo/beneficio” justo. Ou seja: quem banca, manda! Fuja de ser bancada e, consequentemente, a porta da rua será uma bela serventia no dia em que o parceiro ousar lhe mandar ou criticar. Apodere-se querida!

Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 22 de agosto de 2015.


Nenhum comentário:

Postar um comentário