Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Sobre a falta de educação dos universitários.

Sobre a falta de educação dos universitários.

Às vezes, depois de um dia de trabalho a gente chega em nosso lar, deita na cama e agradece a Deus por ter autocontrole. Agradece a Deus por não ter uma arma e, ainda pensa que algumas pessoas só foram espertas enquanto espermatozoides.
Impossível não concluir isso quando, no meio de uma aula, de uma importante explicação, para ser exata, um aluno de outra turma abre a porta sem bater e entabula um "diálogo" gesticulado com alguém que está na sala assistindo aula.
Ou quando, no meio da explicação, quase ao término da aula, um bem aventurado levanta e lhe entrega um trabalho que deve ser entregue a seguir (no final!) ou, e o que é pior de tudo, um aluno resolve sair da aula e segue se "despedindo" do coleguinha de pé enquanto você explica a matéria e se obriga a fazer uma pausa para o "importante" terminar seu "importante" assunto sem perder o fio da meada, afinal, longe de mim enquanto professora "atrapalhar" meus pupilos lhes dando aula. Ora, isso seria uma imperdoável heresia!
Assim como existem os que não prestam atenção, conversam, ficam focados no facebook e se irritam com o professor quando ele está transmitindo algum conceito e eles se "perdem". Eu presumo que alguns alunos, assim como alguns seres humanos não sabem respeitar os mansos e educados, menos ainda os alegres e humorados.
É preciso que a paciência, diante da falta de educação, acabe num "esporro" para que a confusão entre bom humor e idiotia termine. Essas pessoas jamais poderiam reclamar dos professores que julgam arrogantes ou parcamente educados. Esses lhes dão o que eles, praticamente, imploram.
Parece-me, infelizmente, que o ser humano não tem preparo para o bondoso, para o maleável, para o gentil. Ele diz que quer gentileza e educação, mas termina confundindo tudo isso com burrice, tolice ou retardamento mental. Enfim, faz pouco caso. Desmerece e decepciona.
Todavia, enquanto existirem os bons, os educados e os agradáveis ser educado, gentil e humorado valerá a pena. Isso, claro, mantendo a minha humana "reserva" ao direito de ser sarcasticamente estúpida frente a um ato mais estúpido ainda como, por exemplo: "Obrigada por abrir a porta sem bater e interromper a minha aula para fofocar". Não entendo porque, nessa hora, não usam o WhatsApp ou mensagem SMS. Seria menos grosseiro. Ou bater à porta e chamar o professor antes de abri-la! ! Putz, isso seria muito, muito mais adequado.

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 18 de setembro de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário