Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Sobre mulheres...

Sobre mulheres...

Sobre mulheres Fábio Reynol no texto “Mulher – Manual de Preservação da Espécie”, cuja autoria, nas redes sociais, seguidamente vem atribuída a autores famosos que nada tiveram a ver com o seu escrito de gabarito! Disse ele majestosamente:
“Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro.
Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia.
Flores também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.
Respeite a natureza. Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia. Não faça sombra sobre ela. Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado.  Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.
Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.
O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo. É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay. Só tem mulher quem pode!”.
Fato é que, atualmente, os homens não estão querendo mulheres, mas vagabundas ou outros homens. Sabe por quê? Só uma mulher sem brilho, que, como vagalume, só brilha pela bunda e de quatro, silencia diante da falta de carinho. Assim como só outro homem aceita “brutalidade”.
Mulher de verdade, que não tem medo de dizer o que quer, não se resigna com homem relapso. E, se bem observado, ela vai deixar na cara que ele está a perigo: ou de levar um pé na bunda ou um par de guampas.
Claro, tal decisão depende muito do senso ético da mulher, mas fato é que, no quesito necessidade de afeto e carinho, toda mulher se equipara. Toda mulher é igual! Ou a gente tem, ou a gente pula fora!
Não importa se o parceiro é milionário ou tem um QI digno do Einstein, nós queremos nos sentir amadas, valorizadas, desejadas, prezadas! E a gente reclama sim, quando não temos o que desejamos.
E nós não reclamamos por chatice, ao contrário do que os “pseudohomens” pensam! Nós reclamamos é por gostar, por prezar, por amar! A mulher ideal para o homem tosco é a mulher que não o ama: aquela que não reclama de nada, que está com ele “por estar”, esta não se importa de receber quirela, restos, resquícios de afeto de “quando em quando”.
Essa, meu amigo, ou tem outro, ou está “matando” tempo com você até achar alguém. Mulher que gosta do homem que tem, quer ficar com ele e não poupa em lhe dizer o que ele pode fazer por ela: “Querido, largue o celular, me beije”, “querido, capriche no sexo oral”, “querido, pare de dar atenção pra periguete desconhecida nas redes sociais”, “amor, me elogie mais”, “querido, me beije mais” e etc..
Mulher quando gosta do homem, mas não depende dele pra comer e se vestir, fala o que quer ou deixa de querer, elogia o que está bom e reclama do que não está. Sabe, por quê? Porque ela não quer deixa-lo, ela quer, apenas, que ele aprenda a ser homem e não um mero “portador de testículos” e passe, então, a agir com afetuosidade e maturidade.
Agora, quando a gente não quer “nada com nada”, qualquer coisa contenta, simplesmente, porque não queremos você ou somos lésbicas nos passando por “hetero”, daí, nesse caso, qualquer homem de quinta que se acha macho alfa nos serve. O problema do mundo, é que tem muito homem dizendo que “adora” mulher, mas não sabe agradar a uma, seja no sexo oral, seja no sexo convencional, seja fora da cama! Ai que dó!


Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 24 de setembro de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário