Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 7 de fevereiro de 2016

A solidão do sofrimento.


A solidão do sofrimento.


Pessoas deprimidas, pessoas irresignadas ou passando por sofrimento, não são agradáveis. As pessoas são acostumadas com máscaras. O mundo se acostumou com o lance de todos dizerem que "estão bem" para não terem que ser prolixos e explicar a razão de não estarem bem.
Razão está que, no fundo, no fundo, ninguém quer ouvir. Quiçá, apenas um psicanalista por trezentos reais a hora! Ou alguém que lhe ame, mas que lhe ame muito, muito, muito! Eu diria muito ao quadrado elevado na décima potência.
O sofrimento é solitário, a tristeza é solitária, o "não estar bem" e o não estar feliz é solitário! No fundo todos preferem ignorar isso, todos querem curtir suas banalidades, rir de todo o resto e se dispersar. Gente que não está feliz pesa. Aliás, convém dizer que não estar feliz é diferente de não estar bem. Você pode estar ótima, mas infeliz.
E, entenda: não haverá ninguém que goste de você neste estado, ainda que lhe suportem, por lhe amar demais. As pessoas fogem de pessoas assim ou, simplesmente, por obrigação moral, fingem que se importam. E se você não for um perfeito estupido, perceberá o fingimento!
Você verá que seus assuntos são um fardo aos ouvidos alheios e você se sentirá mal por isso: você precisa desabafar, o problema que lhe abala não sai da sua cabeça, mas se você falar demais vai acabar expulsando as pessoas de perto de você no momento em que, quiçá, você mais precise de companhia e de atenção.
Acho engraçada a antinomia inerente ao sofrimento: na medida em que você está frágil e precisando de apoio, você percebe que se torna repetitivo, desagradável e chato, logo, mesmo precisando a tendência é que você afaste e não atraia a afetuosidade alheia.  
O mundo não é dos abalados, dos tristes! Quem tem razão para estar assim, menos ainda: quem tem motivos para estar "depre" irrita muito, afinal, tem as suas razões para expor e ninguém quer saber delas! É, meu amigo, e depois tem gente que reclama da falsidade. Queridos: a vida exige! Ser falso é questão de vida ou de se conformar com o escárnio público. Enfim, vestir a máscara do "tá tranquilo, tá favorável", é questão de vida ou morte!


Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 08 de fevereiro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário