Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

O feminismo e as atitudes femininas.

O feminismo e as atitudes femininas.
Cansei de ouvir de homens que sou "difícil demais para ser feminista", que eu deveria ser mais "liberal" e "moderna". Algumas mulheres já me disseram que sou "caseira" demais pra ser feminista, que eu deveria ser mais "baladeira" e tal!
Como se transar com 1, 5, 10 ou 500 mil homens determinasse o meu feminismo! Gente, o número de caras com quem já transei não tem nada a ver com minhas opiniões. Me acho boa demais pra transar de graça com os babacas que conheço por aí! Machistas, egoístas e arrogantes, inclusive! (Aliás, com alguns dos meus ex namorados se eu pudesse "destransar" eu "destransaria"!).
Curto rock e boa música, mas amo minha casa, quarto e filmes, não preciso estar na noite de bar em bar ou de cama em cama pra fazer apologia ao feminismo! Aliás, não preciso provar nada pra pessoa alguma e digo mais: mulherada, se valorize sim! Calcinha e sossego não é qualquer um que deve tirar o seu!
Se você souber que é gostosa, inteligente e bonita, não vai precisar de elogio de macho pra nada e, do jeito que anda o mundo, nada mais feminista do que se masturbar, se preservar e ser feliz! Gastar com depilação, lingerie, roupa, manicure, cabelo, make, perfume importado e saliva pra conversar é caro demais e tem cara que não vale o que você gasta pra fazer a unha do pé!
Na verdade, tem cara que não vale a acetona que você usa pra tirar o esmalte velho das unhas! O feminismo não tem nada a ver com você sair muito ou pouco, transar muito ou não, ser celibatária ou puta, ser prostituta ou médica, ser desembargadora, ministra ou gari.
A sua profissão, a sua libido, o seu apreço por festanças em nada se relacionam com ser feminista. Na verdade é o machismo que deseja influenciar as mulheres para que elas demonstrem o seu feminismo sendo libertinas e transando a torto e a direito por aí! Não caia nessa criatura!
Aliás, numa noite dessas cheguei do retoque das luzes no salão e minha mamãe estava assistindo ao filme "Bruna Surfistinha" e havia parado numa cena horrenda em que a garota, super chapada, dava uma entrevista na televisão falando mil asneiras vulgares. "Cruzes, que imbecil!", pensei e falei.
Se eu fosse ela (garota de programa), ao invés de ir em rede nacional falar bobagem e agradecer a minha clientela, eu agradeceria a todos os caras babacas, ignorantes, machistas, hipócritas, metidos a "espertos" e ridículos com quem já fiquei e namorei! (Isso sem falar os que escreviam "agente" e não sabiam diferencias "mas" de "mais"!). Sem duvida eles seriam o maior incentivo para eu "alçar" voo na carreira da Raquel (vulgo "Bruna Surfistinha"!).
Minha mãe concordou plenamente comigo e, se o assunto se alongasse, sinto que ela me incentivaria a usar o meu rostinho, inteligência e corpinho e deixar de ficar com trouxas que mais me fizeram gastar e estressar do que "agregar" ou gozar!

Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 29 de fevereiro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário