Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

O básico do básico do básico da decência!

O básico do básico do básico da decência!

As pessoas ficam assombradas pelo fato do simpático papa dizer que os ateus e homossexuais serão "perdoados" e etc.! O mesmo quando algum dos nossos padres "pop" tira foto com transexuais ou qualquer representante de minoria na sociedade.
Gente, Cristo não mandou amar a todos? E "todos" não significa qualquer pessoa independente de crença, cor, condição financeira, cultura e sexualidade? Olha, sinceramente, eu não me espanto, acho óbvio, elementar, básico e necessário! O oposto me causava repúdio. Mas o mundo está tão estranho que o fato de termos um papa mais humano e doce "estarrece"!
Bem, a minha "religião" é o amor e o respeito ao próximo, talvez por isso eu ache que respeito é básico! Amor e respeito não são favores no meu universo e, portando, não dou "biscoito" pra quem age de forma digna, ética e saudável. Ademais, o Vaticano salvaria os miseráveis que morrem de fome da África se quisesse! Mas não, a Igreja “ora” pelos pobres, enquanto a Angelina Jolie, ateia, e outros tantos ateus, inclusive, lhes ajuda. Muita reza, pouca ação, muita palavrinha bonita, pouca atitude, mas os “fieis” se encantam!
Aliás, fico bastante espantada com o discurso incoerente e tolo dos cristãos: "A Rede Globo está destruindo a família tradicional"; "A prostituição e pornografia destroem casamentos"; "As redes sociais geram infidelidade"; "A televisão deturpa os valores..."; "O homossexualismo vai influenciar a sexualidade infantil..." E mimimi!
Gente, se a sua família, se o seu casamento, se o seu relacionamento e até se os seus valores se abalam por qualquer razão que seja, significa que não são suficientemente fortes! O problema está na relação, nos seus princípios, na falta de tesão, na falta de amor e respeito, na fragilidade dos valores!
Praticamente todos os gays são filhos de pais hetero: a sexualidade dos pais não lhes influenciou, porque, ao contrário da palavra, sexualidade não é "opção"! Ou você acha que alguém vê um gay apanhando, acha bonito e pensa: “Bah, que legal, vou dar o cú de agora em diante!”.
Pare de encontrar culpados pelas suas fraquezas e pela fraqueza de quem vive com você! Pare de se importar com a cavidade anal alheia, com o que é natural para os outros, mas que não lhe oprime. Ou o homossexualismo alheio lhe judia, lhe oprime? Bem, se sim, você tem mais problemas do que meus vãos conhecimentos de psicologia podem desconfiar: vá se tratar!
E aquelas outras afirmações estupidas que canso de ouvir? "Eu não entendo como as lésbicas transam"; "Nossa, não faço ideia que graça os gays acham em transar homem com homem"... Filho, você não precisa "saber" ou compreender algo para que este "algo" exista e seja bom para outros!
Que tal substituir o jejum de carne na quaresma por ser educado, por tratar a todos com respeito, por viver e deixar viver? Que tal, simplesmente, ser bondoso ao invés de ser crente, por exemplo?! Que tal seguir a ética da reciprocidade ao invés do Levítico ou Bolsonaro fascista? Sabe o que diz a ética da reciprocidade? Simples: não faça ao outro o que não deseja que ele lhe faça.
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 18 de fevereiro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário