Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 7 de fevereiro de 2016

O sofrimento do pobre.

O sofrimento do pobre.

Pobre já tem seus direitos restringidos pelo simples fato de ser pobre. Pobre não pode ter depressão, pobre não pode ficar apático, pobre não pode sofrer! O pobre não pode se dar ao luxo de ficar doente da mente, porque tem que trabalhar pra poder pagar a comida e o álcool que o pobre toma pra esquecer dos problemas. (Se o pobre quisesse lembrar anotava e colocava na porta da geladeira com um ímã.)
É por isso que o pobre toma cachaça: faz esquecer e é barata! O rico deprimido toma vinho caro, passa a noite em claro, dorme o dia inteiro e "pah": nada muda para pior! Vai ter comida, vai ter grana pra beber, viajar, pra poder dormir e desligar o celular.
O rico pode ter crise de depressão ou ansiedade. Na verdade será uma crise de estresse. Rico fica estafado, pobre enlouquece. A crise de estresse do rico é em seguida esquecida por todos, o pobre já continuará com o estigma de “maluco” pro resto da vida. E se insistir em ficar doente, vão dizer que o pobre está de “frescura”, que quer “vadiar”.
Ademais, se acaso o pobre se deprima por razões afetivas, se entregar-se à "depre" consegue mais razões pra chorar: acaba ficando mal financeiramente. E vai continuar com a dor do amor, porque depressão de pobre só faz piorar o que já é difícil.
Rico toma indutor de sono quando tem insônia e quer apagar, o pobre conta com o efeito colateral de antialérgico ou anti-histamínico. Pobre pede receita de remédio controlado para o amigo que tem um amigo que trabalha em algum hospital e enche a cara, chora, dorme mal e levanta cedo trabalhar no outro dia. É meu amigo, a vida força o tal do pobre a ter força! Pobre do pobre!

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 08 de fevereiro de 2016.

Um comentário: