Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

A pessoa MAIS certa.

A pessoa MAIS certa.

Se você não se afastar da pessoa errada, a certa talvez não chegue. Sobre eu na vida? Sempre expulsando os errados. Quiçá não exista a pessoa certa pra ninguém neste mundo, mas uma coisa é certa: se for pra me irritar, pra ouvir asneira, para discutir ou ter que dizer "aham" pra não causar "problemas" eu prefiro ficar sozinha!
Relações devem ser equilibradas, com muitas afinidades e harmonia, sem ofensas, brigas, discussões ou guarda de mágoa silenciosa. Sem estresse, o riso frouxo e a juventude se mantém! Sem a pessoa errada eu faço o que quero, durmo e acordo bem e não "viro" os olhos por ninguém!
Sem a pessoa errada eu não levo os meus nervos à flor da minha pele, se a pessoa errada, pode ser que eu viva sem o bom e velho sexo ardente e, preferencialmente, selvagem, mas existe picanha, costela, cerveja e vinho para substitui-lo. Frise-se que também existe o “autodidatismo” sexual.
Aliás, existe algo que me irrita! Sempre que começo um namoro, atualizado o status nas redes sociais, chovem comentários extasiados, comemorativos, “felicidades” e por aí a fora! Gente é só um namoro! Eu era feliz antes de namorar e já aviso: o romance irá durar enquanto eu estiver feliz.
É um namoro, não a assinatura de um contrato vitalício, namoros servem para as pessoas se conhecerem, se entrosarem e se divertirem. Sim, namoros devem ser divertidos! Não significa que serão pra sempre e esses “desejos românticos” me soam ignorantes, além de profundamente hipócritas.
Não vale a pena suportar nada, uma relação saudável implica em concessões, não em sacrifícios, uma relação saudável implica em dialogo constante, amigável, respeitoso e esclarecedor. Não em “afffs” constantes, em irritar-se sem poder compartilhar com o outro a razão da irritação.
Pode haver paixão, pode haver desejo, mas uma relação não pode, jamais, ser uma floresta pegando fogo para a qual, na esperança de salvá-la com um balde de agua, você corre desesperadamente em sua direção. Por total ausência de racionalidade.
É preciso analisar a situação do outro, seu gênio, seus gostos, sua personalidade, seu momento difícil, porque, acredite, nenhum relacionamento nesta vida vale o seu estresse, vale as suas abdicações, vale o “abaixar” a cabeça e tudo aceitar e se resignar mesmo que agredindo a sua autoestima.
Então, quem é a pessoa certa, você me pergunta, pois eu lhe respondo: é aquela que não desejará lhe mudar, lhe corrigir, é aquela que, diante das suas inúmeras imperfeições, olhará para você com admiração e pensará: “Era essa pessoa que eu queria ao meu lado.” Infelizmente, é o que menos vemos hoje em dia, nesse mundo de muito “love” virtual, muito sexo quente e muita “tolerância” ao intolerável em prol de estar “em um relacionamento sério”.

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 02 de novembro de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário