Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 15 de novembro de 2015

Sobre se relacionar e confiar.

Sobre se relacionar e confiar.

No fundo todo mundo quer confiar em alguém, cuidar e ser cuidado. Todavia, as pessoas andam tão afoitas ou superficiais que elas não sabem como agir para conquistar a confiança alheia. Querem ser "confiadas", não sabem fazerem-se confiáveis.
Antes há o anseio por sexo e se ele acontece, há presunção de confiança cativada, então a conquista finda e o marasmo impera! "Intimidade se cria", dizem por aí. Eu acho que não. Intimidade sexual se cria, afinal, é instinto. Intimidade intelectual carece da confiança que, por sua vez, sucede a conquista.
Mas as pessoas perderam a paciência e a vontade de andarem "step by step". Prepondera a tal da pressa, reinam as relações de faz de conta, superficiais, só para alguns momentos bons. Afasta-se o coração, a intuição e o afeto, fica a pressa para a cama, para a diversão e para o "cada um para um lado" depois.
Relações fast food, relações com base na fome e na gula, não na admiração, necessidade e vontade de cultiva-la. Relações dispensáveis, ao menos para mim que já tenho uma vida assoberbada demais e sou paga para lidar com problemas alheios. Homéricos, diga-se de passagem. Ou seja, não tenho a mínima paciência para o "meio termo" problemático e imerso em incertezas.
Amadurecer é saber os seus limites, conhecer a própria alma e, sobretudo, saber que a gente não merece menos do que o inteiro, porque de metades não se faz nada bom. (Alcoolicamente falando nem a metade de um limão faz uma caipirinha que se "preze"). Amadurecer é se amar a tal ponto de, mesmo que o coração bata forte, chegar para o outro e dizer: “Se você me oferece apenas isso, lhe agradeço, mas recuso. Quero e mereço mais.”
Você não precisa do cara sarado, do milionário, do dono de um QI invejável, que lê de filosofia à clássicos da literatura brasileira. Você não precisa do sujeito de boa lábia e que manja da arte das "mentiras sinceras", afinal, você as dispensa!
Você também não precisa de alguém idêntico a você nos pontos de vista, metas e ambições! Você só precisa de alguém que pense como você a respeito do que constrói um relacionamento, enfim, de alguém que queira o mesmo que você de um romance, pois para todo o resto "dá-se um jeito"!
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 15 de novembro de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário