Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 22 de novembro de 2015

Dicas de sobrevivência nas redes sociais.


Dicas de sobrevivência nas redes sociais.

Você amiguinho que se irrita com as postagens alheias, porque as acha demasiado vulgares/libertinas/moderninhas/conservadoras/nonsense/hipócritas/debochadas/sarcásticas/evangélicas/góticas/fúteis/crentes/anticristãs/idiotas/estúpidas/indiscretas/modernas/feministas/machistas/petistas/coxinhas/bolsomitas/jeanwyllysitas/bíblicas/evolucionistas/ateístas/cientificistas/bobagentas/jurídicas/românticas/rabugentas/childfree/maternais/ e etc., trago a solução!
Aliás, trago a solução sem que você precise reclamar no RH da empresa, dar indiretas bobinhas para quem nem sequer acessa a sua “linha do tempo”(porque não lhe segue!), se ofender, se magoar, chorar, desejar a morte alheia ou, o que é igualmente, desprovido de fineza e equilibro psíquico: opinar grosseira e desnecessariamente onde não é solicitado!
Faça isso de onde você está neste momento e se alivie! Vamos lá baby: pegue o seu celular, clique bem a esquerda no seu face, aparecerá o ícone de seu perfil. Acesse no íconezinho a esquerda dele e clique em cima de “preferências no feed de notícias”, então clique em “deixe de seguir pessoas para ocultar as publicações delas”.
Clique em cima do nome/foto de perfil das pessoas ou páginas escolhidas (eu sigo mais de 60 páginas e menos de 20 pessoas!) , vá em “concluir” e be happy! Sinta o alivio, a alegria e a felicidade de só seguir postagens legais, interessantes e afins com seus princípios morais, religiosos, sexuais, profissionais, partidários, culturais e etc.!
E, ao fim, dê uma salva de palmas ao Mark Zuckerberg, porque ele não quer ninguém se estressando com o outro, porque pensa diferente dele e não aceita, ele não quer brigas desnecessárias e gente se digladiando numa ferramenta/página que foi feita para unir afins e não para criar desrespeito e intolerância entre pessoas de concepções diferentes sobre a vida, pois não conseguem ficar sem se meter nas ideias e páginas alheias ou implicar com o outro!
Cuidar da sua vida, conservar relações amigáveis com pessoas que pensam diferente em alguns "pontos" e buscar cultura ainda é possível neste mundo onde muito se publica e julga, mas pouco se gargalha, une e diverte!
Basta que você priorize a afinidade e não a perseguição ou retaliação virtual, basta que você compreenda que existem pessoas que pensam de forma diferente da sua, mas que, nem por isso, são “menos” boas, decentes ou legais que você!
Acho que um dos passos da civilidade é saber calar, inclusive nas redes sociais. Se a sua opinião não é solicitada, ela é desnecessária. Isso é regra de etiqueta social, de educação e classe. O problema é que, já faz algum tempo, que a marca da roupa, da bolsa e da maquiagem vem sendo hiper valorizada, enquanto o finesse e a elegância de atitude ficaram em segundo plano.
Isso sem contar o azedume dessas pessoas que, nas redes sociais e na vida, intervém onde ninguém lhes solicita! Tem pessoas que não tem preparo e equilíbrio mental para viver na era da "publicidade de atos", de redes sociais, manifestação de pensamento, acesso à informação.
Tem os que se ofendem com tudo, os que acham que tudo é indireta (psicóticos!) e os que, por verem uma opinião contrária explícita, acham que devem opinar (egocêntricos!). Devem pensar, do "alto" de seus cérebros neurologicamente abortados: "Putz, que ideia ridícula, vou ter que me manifestar para salvar esse miserável da própria ignorância!". Ou seja, desequilíbrio e demasiada valorização da própria opinião!
Quer opinar, falar, argumentar, mostrar-se culto e equilibrado? Use a sua página, crie uma fan page ou um blog, porque a postagem que vem seguida do nome do dono da página é dele e foi feita para quem compartilha e concorda, não para manifestação de ideias amargas e críticas destrutivas e não fundamentadas. Redes sociais não são lugares de discussão, na verdade, nenhum lugar no mundo é! Se você não aceita ler o outro sem opinar, você precisa de aulas de etiqueta e de um psicanalista.
Ademais, se você acha o que pensa tão "imperdível", convém usar do meio idôneo para se manifestar (sua página), ou seja, não precisa ser chato, inconveniente e deixar seu recalque explícito em páginas alheias só porque você é mais um ser humano hipócrita, limitado e que finge que tem a vida perfeita, logo, não suporta ver a autenticidade e a independência mental, afetiva e financeira dos outros.

Cláudia de Marchi, 
Sorriso/MT, 22 de novembro de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário