Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Feminicídio, não crime passional. A década de 80 já passou!

Feminicídio, não crime passional. A década de 80 já passou!

Ocorrem 13 homicídios em que vitimas são mulheres, por dia, no Brasil. Atualmente, referido tipo penal chama-se feminicídio e o Brasil é, no mundo, o 5º país que mais mata mulheres. Estranhos mesmos, são os motivos que os homens dão.
Nove em dez vezes, na sua defesa, a moral da vitima é colocada em cheque. Tenta-se, a todo tempo, chamar de “passional”, ou seja, de crime cometido por paixão, o que não passa de crime cometido por ego, de feminicídio pura e simplesmente.
Supere a década dos grandes júris e absolvições baseadas em passionalidade e “legitima defesa da honra”, enfim, deixe os anos 70 e 80 no passado. Época em que a defesa da honra de broxas assassinos “colava” frente a um corpo de jurados machista e, quiçá, igualmente broxa!
Enfim, se você acha que sua parceira/ficante/namorada/ex-namorada/esposa/ex-esposa/companheira/ex-companheira é "vagaba", que não merece valor "porque dá pra qualquer um", você está no seu direito.
Sim, amiguinho, no mundo das suas ideias você tem o direito de pensar o que quiser, de julgar ao outro como bem entender. E, sobretudo, você tem livre arbítrio! O livre arbítrio de se afastar, de mandar se catar, de encher a cara, ir pra zona, pegar a conhecida bonitona dela, chorar até dormir, encontrar outra, o que for.
Você não tem e jamais terá o direito de agredir, de ofender e de matar. Fazer isso, coloca por água, digo, por esgoto abaixo, as suas lágrimas de "homem corno ofendido em sua 'dignidade'". Faz de você um psicopata-broxa-covarde-idiota! Só isso.
E, acredite, essa defesa de que ela era uma "vadia", só mostra a sua imbecilidade: se ela não era a lady que lhe "merecia", porque o despeito gerador das ofensas? Se ela era tão ruim, por que chegar ao ponto de ofender e agredir?
Se ela era "vagaba" e existem tantas assim, porque "pirou" de amores? Se, como ela existem mil, porque gamar e querer ser dono? Se ela era tão bijuteria, porque a obsessão que nem diamantes merecem? Enfim, seu psicopata agressor e/ou homicida: a culpa não é dela, a culpa é de seu ego doentio.
E a culpa também é de todos os que julgam as milhares de mulheres agredidas, assassinadas e mal julgadas por dementes como você, sem estarem fazendo um júri depois de tirarem até o seu rim (financeiramente falando). Tais pessoas, também, não merecem o meu respeito.
Se eu defendo homens como você? Como advogada, talvez. O processo merece defesa, se eu não faço, outro faz. Ademais, "pagando bem, que mal tem"? Daí a defender sociopata machista de graça em mesa de bar, redes sociais ou em discussão com parentes machistas? Não, obrigada. Pra mim se você morrer, ganhar flor e nascer de novo, aí então, terá um "bom começo".
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 10 de novembro de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário