Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 17 de janeiro de 2016

Minha melhor prece.

Minha melhor prece.

"Por que você não vai à igreja?" Porque eu não gosto. Porque a bíblia, pra mim, é um livro antigo e descontextualizado, nada mais. Porque eu não sou religiosa, nunca fui! Depois das aulas de história do primeiro grau (lá pelos meus 9 anos) nenhuma religião, tampouco aquela em que me batizaram e crismaram (católica), me convence.
Tenho muito de espiritualista, mas nada de religiosa. Sou do tipo que questiona demais e que gosta de saber e não de "crer". Ademais, neste "pálido ponto azul" (valho-me de Sagan) prefiro me considerar poeira de estrelas do que a derivação do barro. Ou melhor, da costela do homem que surgiu do barro.
"Por que você não se ajoelha para orar? Por que você não reza?". Porque eu converso com minha consciência, porque eu penso demais, porque analiso o meu proceder e exijo de mim um aprimoramento cotidiano. Mas, apesar disso tudo, apesar de já ter me deixado entristecer algumas vezes na vida por culpa ou por focar demais naquilo que me faltava, hoje eu estimo o que tenho e, principalmente, quem eu me tornei!
Não tenho dúvidas de que o que de melhor eu tenho está dentro de mim e não no meu guarda roupas, estantes, conta bancária ou em qualquer "coisa" tangível. Permito-me viver cercada por pessoas diferentes e conhecer outros mundos e realidades, permito-me aprender com cada vivência que tenho.
Os bons me inspiram e animam, os ruins, arrogantes e prepotentes me ensinam quão ridículo um ser humano pode ser quando se convence de que é melhor que os outros. Quão ridículo e quão baixo, verdade seja dita! O riso e o sorriso são minha prece, olhar nos olhos de quem me chega é minha prece, pois é olhando no mais profundo do outro ser humano que não me permito esquecer que não devo fazer ou dizer a ele o que não quero que me faça ou diga.
E, sorrindo apesar dos revezes eu continuo ciente de que minha prece é sincera e não egoísta, é profunda e não decorada, afeta o mundo e quem a recebe, sem pugnar por milagre algum, ela simplesmente inspira e não julga. Ser alegre, espontânea e transparente é a forma com que mostro ao mundo que não preciso de religião alguma para ser boa. E, como eu, pessoa alguma precisa.
Basta ter moralidade, ética e respeito pelo ser humano. De nada adianta ser uma materialista fútil, trair parceiros, amigos, se relacionar por interesse e saber a bíblia inteira, ajoelhar-se na igreja todos os domingos. Ser correto, tratar os outros com humanidade e aproveitar a vida de forma alegre é a melhor prece que posso fazer.
Ser humana, ser alegre e feliz é a minha prece de agradecimento por estar viva. Fazer piadas com meus "problemas" é minha prece sincera e que não olvida do fato de existirem problemas (sem aspas) muito piores do que aqueles que possam me incomodar.


Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 17 de janeiro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário