Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 10 de janeiro de 2016

Prazer, mulher de mentirinha!

Prazer, mulher de mentirinha!

Eles disseram que mulher de verdade não bebe, não fala palavrão, não dá gargalhadas, não conta piadas, gosta de lavar as roupas, a louça e de deixar a casa limpinha com seu esforço. Disseram que mulher de verdade come pouco, pois tem que estar sempre esbelta para o marido, por mais estupido ou gordo que ele possa ser.
Eles também disseram que mulher precisa de filho para ser "plena" e de um marido, afinal, eles disseram que "por trás de um grande homem há sempre uma grande mulher". Eles nos disseram que temos que escolher um homem inteligente, astucioso e trabalhador para que ele nos dê uma vida confortável enquanto cuidamos dos filhos e deles próprios.
Eles nos disseram que devemos casar com homens fortes e, quiçá, mais velhos do que nós, porque a maturidade dá ao homem experiência e nós precisamos de homens experientes para que eles nos cuidem como um pai e, ainda, nos guie e ensine como é viver “corretamente”.
Eles nos disseram que, independente, da graduação, formação ou inteligência que temos, nós precisamos de um homem que nos ofereça um ombro, a mão, e o cartão de crédito, ainda que, para isso, tenhamos que suportar seus rompantes orgulhosos e desrespeitosos.
Eles nos disseram que devemos casar virgens, que nosso caráter se mede pela quantidade de homens com os quais transamos, eles nos disseram que devemos ser “puta na cama e lady na sociedade”, afinal, eles também nos disseram que somos mulheres de um homem só, ainda que eles se tornem entendiantes, pouco carinhosos e broxantes.
Triste é saber que até meus vinte e poucos anos eu acreditava nessas coisas que me disseram. Hoje eu posso dizer a quem, como eu, acreditou nisso: vocês não são inocentes, mas não sabem de nada! A vida é muito mais do que essas coisas que embutem na nossa mente e que, como um tumor maligno, nos perseguem vida a fora cercando o nosso autoconceito e cerceando a nossa liberdade.
Ademais, eu nunca prometi pra ninguém que seria uma mulher de verdade! Eu só sou uma mulher, feliz, contente, às vezes tenho meus percalços, minhas crises de revolta, descontentamento, tristeza e choro, tento superá-los sozinho, todavia, obrigada pela atenção e, muito prazer sou mulher de "mentirinha"!

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 10 de janeiro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário