Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Sobre ser livre!

Sobre ser livre!

A liberdade começa quando você assume para si mesmo quem você é! Quando, num mundo de conceitos moralistas, você compreende que não existem regrinhas ou "atitudes corretas" para toda e qualquer ocasião.
A liberdade começa quando você compreende que o melhor que pode lhe acontecer, pode vir junto com aquilo que de mais insano você pode fazer, quando você descobre que os seus próprios atos incomuns, impensados e, até mesmo, nunca praticados, vem à tona no momento em que você se junta com uma pessoa que tem a alma livre como a sua, que tem uma loucura afim com a sua.
Ser livre é não precisar de "cartilhas", é sentir na pele, na mente e na intuição o que se deseja fazer, é assumir tais desejos e lembrar-se deles sorrindo. É entregar-se a vivências intensas, é ser intenso, porque, você não precisa ser o que os outros querem, desejam ou dizem, você precisa ser satisfeito, ser feliz, mesmo que fuja de qualquer padrão.
Padrão imposto por quem, afinal? Por uma sociedade hipócrita, onde 8 em cada pessoas usam máscaras, são infelizes, não têm coragem para se separar, mas são infiéis, não mudam de vida por comodismo, oram aos domingos e jogam pedra na vida alheia na segunda-feira, quando, inclusive, acordam reclamando, porque não sentem paixão nem pela profissão que escolheram, menos ainda pela vida que levam!
Paixão meu amigo! Paixão, intensidade, loucura! Sim, elas fazem muito, muito bem! Sim, você precisa delas, talvez ainda não tenha tido coragem para vivenciá-las, talvez ainda não seja suficientemente livre para se entregar a elas, mas precisa, são elas que fazem essa passagem que chamamos de vida valer a pena.
Porque, acredite, liberdade não tem nada a ver com pagar as próprias contas, ser bem sucedido, solitário e cheio de si. A única prisão realmente triste é a da alma e, coincidentemente, é a única prisão da qual, voluntariamente, o homem pode libertar-se. Basta ter coragem, a mãe de todas as virtudes!
Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 20 de outubro de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário