Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Homens e seus egos frágeis: pequena crônica sobre um assédio ofensivo.

Homens e seus egos frágeis: pequena crônica sobre um assédio ofensivo.

Eu nunca pensei que minha aparência jovial tivesse um lado ruim! Até recentemente, quando um cidadão conhecido no Judiciário local, tirou horas para tentar flertar comigo. O cidadão iniciou o assunto se informando sobre o magistério superior e eu respondi.
De repente começou a amealhar coincidências entre nós, ao perceber isso, cortei-o, afinal é casado e a esposa, ao que vi não estava em casa (quem em sã consciência “tira” para confiável um homem que lhe convida para ir a casa onde mora com a esposa “amada” e filhas?).
Voltamos a falar de carreira, "desde quando isso, desde quando aquilo" chutei a sua idade e ele a minha. Eis que me deu 24 anos. Segundo o trovador daria 22, mas como leciono há um ano aqui na UNIC seria um equívoco! Percebi a franqueza e, ao dizer que houve quase uma década de erro, começaram as “justificações” para seu contato comigo.
O cidadão que trouxe sua cultura e currículo à baila para me cantar, percebeu que não falava com uma jovem alegre e inexperiente. Mas, com uma mulher alegre e esperta que ele não conquistaria com exibimentos tendo o estado civil que tem! Sinistro não é?! "Se eu não tivesse me encantado ao lhe ver tal dia eu procuraria uma casa local para saciar minha carência". Aham! Eis o mundo atual onde ter fé no amor, no casamento e nas pessoas é um lindo ato de esperança!
Transcrevo, porém uma pergunta, frisando que o interlocutor acima referido se acha um macho alfa em virtude do "doutor" que tem como tratamento pelo cargo que ocupa, provavelmente, em virtude de os exames psicotécnicos não serem feitos com o esmero necessário no Brasil ou por achar que, assim como "despacha" no trabalho pode "despachar" mandando mulheres bonitas se renderem ao seu palavreado rebuscado e aceitarem seus convites para jantar e, consequentemente, transar com ele.
Enfim, disse o "omizinho" após o seu ego ficar "dodói" com a rejeição: "Cronista: você já praticou sexo alguma vez com algum homem obviamente não casado?". (Eu havia dito que jamais sai jantar com alguém casado e ele foi além em virtude da possível magoa com minha franqueza).
Primeiramente, pergunta de uma passivo-agressividade sarcástica assustadora (Freud, cadê você nessas horas meu filho?), segundo, irrespondível por uma balzaquiana extremamente bem resolvida em todos os aspectos, mormente nos sexuais. Mecanismo usado para o flerte doentio? O tal do Telegram numa parte do mesmo em que as mensagens se autodestroem e que eu desconhecia.
Como se print de tela não existisse, mas, não nego, é tão desnecessário quanto a pessoa que assedia uma mulher e acha que ela deve cair em seus galanteios. Um bom machista achará que mulheres dão ensejo a isso, que eu dei por ser educada, quiçá! Machistas e tão doentes mentais quanto a pessoa em comento.
Infelizmente o mundo está cheio de homens movidos a ego, que não suportam a rejeição e que deveriam continuar flertando com mocinhas novas e interesseiras para não se sentirem tão ofendidos com uma "saída a francesa". Não nego, porém que é por atitudes masculinas assim que eu pugno pelo feminismo.
Assédio a tal ponto avilta e fere. Deveria ser crime, inclusive, cuja pena deveria ser 6 meses de tratamento com uma sexóloga e 12 meses de psicanálise, porque só assim para esse povo descobrir que o mundo e a libido alheia não giram em torno do seu "pintinho" (pinto deve ser algo demasiado crescido para atribuir ao órgão sexual destes enfermos). Quanto ao Telegram? Aplicativo necessário que eu mal baixei e já aprendi a bloquear usuários.

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 05 de julho de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário