Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

No dia do advogado, aos meus pupilos!


No dia do advogado, aos meus pupilos!

 Eu poderia ser hipócrita e vir aqui felicitar a todos os meus colegas com muita (pseudo) “afetuosidade”, mas agradar a todos, definitivamente, nunca foi uma pretensão minha, aliás, costumo ser bem irritante a alguns, justamente pela autenticidade e franqueza.
De toda forma, venho falar um pouco sobre essa profissão linda que escolhi há quase 16 anos, logo não posso deixar de falar um pouco como professora também. Se você acha que tudo serão “flores” após concluir a faculdade e passar no exame da OAB, você está enganado.
Você, na advocacia, irá enfrentar oponentes desprovidos de ética, terá colegas medíocres “arrotando” talento, porque de tudo o que dizem que um advogado “precisa”, eles só vieram abastados da tal “lábia” muito bem substituída pelos mesmos, enquanto vocábulo, pela palavra “oratória”. Existirão os que, tendo em vista a “oratória” farão trabalho medíocre e cobrarão barato, mas, ainda assim, serão ovacionados pelos clientes. Coitados e leigos clientes!
Existirão aqueles que farão muito dinheiro através de contratos abusivos que vão contra tudo o que a disciplina de Contratos, Ética e Direito Constitucional ensinou-lhes. Haverá aqueles que terão a sorte de ter, apenas, um bom sobrenome e algum conhecimento jurídico.
E você, quiçá esforçado, quiçá estudioso, certamente honesto, aguerrido e ético se abalará. Todavia, você vai persistir e terá seus louros, suas vitórias e momentos de “frio na barriga” e sorriso nos lábios que “bilhões” não comprarão, sobretudo, porque, além de ter a consciência tranquila, você poderá olhar no fundo dos olhos dos seus clientes, da sua esposa e de seus filhos com a certeza de que é um “bom homem de família” em sua frente e quando eles não veem o seu agir.
A advocacia, porém, às vezes fará você questionar se a tal da “sorte”, realmente existe e que alguns foram agraciados com ela! Você se perguntará: “Como pode um rábula ir tão longe e ganhar dinheiro?”. As respostas serão várias: auxilio de família e, infelizmente, aquela tendência da nossa clientela em acreditar no que se mostra autoconfiante e que, pela leiguice, diante de qualquer vitória e independente da ética existente na relação, ovacionará o cidadão.
Você futuro advogado brasileiro, desapegue-se da ideia de que ganha dinheiro apenas o advogado excelente! Olhe para o cenário político pátrio e lá estará a resposta! Veja o José Dirceu e lá, também, estará a resposta! Queira lucros e lute por eles, mas não advogue apenas por amor ao dinheiro ou a frustração será certa!
Você futura advogada mulher, tenha uma certeza: com raríssimas e inteligentíssimas exceções, os clientes (e colegas, inclusive), sobretudo em relação a algumas áreas especificas do nosso oficio, não olharão para você com os mesmos “bons” olhos que olham para um advogado que tenha um saco entre as pernas o que, diga-se, não significa que ele seja homem no sentido de virtuosidade, brio, caráter e ética.
Você terá que se esforçar muito e persistir para ser reconhecida como boa advogada, mas, acredite, valerá a pena, porque todo esforço vale a pena, como disse o poeta, se a nossa alma não for pequena e, se você entrou nesta profissão por paixão, tenho certeza, a sua não é!
Francesco Carnelutti em sua mais que perfeita obra, “As misérias do processo penal", disse que o advogado é aquele que é “chamado a socorrer”, honremos este ofício como um médico deve honrar a vida “física” de um ser humano, porque nossos clientes precisam salvar-se de alguma forma.
Deixo aqui, portanto, registrado os meus parabéns pelo dia do advogado a todos os meus colegas batalhadores, honestos e aguerridos, aos demais, esperemos a Dilma instituir o “dia nacional da desonestidade e corrupção”, então, por lealdade, lhes felicitarei!
 Aos meus pupilos adoráveis tenham certeza de que vocês não obterão justiça no Judiciário brasileiro, ou melhor, tal não deve ser uma ilusão, a sua tarefa será, simplesmente, lutar por ela, porque sem luta, meu caro, nada se conquista e o seu dever é batalhar e se esmerar cada vez mais, o resultado nem sempre lhe agradará, o seu dever é cumprir com honra o seu papel. Nunca desanimem da virtude, riam da honra ou se envergonhem por serem honestos, por favor, meus amiguinhos, não se corrompam frente às injustiças que ainda (e infelizmente) irão ver!
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 11 de agosto de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário