Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

segunda-feira, 14 de março de 2016

Mutante!


Mutante!

Eu não tenho obrigação em ser hoje quem eu fui ontem, não tenho a obrigação de ter as mesmas ideias, os mesmos credos, os mesmos paradigmas, as mesmas predileções, as mesmas paixões, as mesmas admirações e as mesmas ideologias. A leitura está aí para me agregar conhecimento e a internet bem utilizada, com sites "idôneos" também!
Da mesma forma que o senhor humilde que corta a grama da minha casa também me ensina, a doméstica do meu ex-namorado me ensinou muito sobre a vida, a minha ex-colega, auxiliar de limpeza da universidade onde lecionei, também me legou ótimas lições.
Assim como os meus saudosos alunos: tão esperançosos, tão fortes por, seguidamente, estudarem, trabalharem, morarem sozinhos e terem filhos para educar. Alguns com histórias de vida sofrida e de admirável superação! (Todos me fazem falta).
Enfim, todos podem nos ensinar, até os amargos, os sem humor, os grosseiros e arrogantes nos ensinam: a jamais sermos tão baixo nível e pobres de espírito como eles. Não tenho a obrigação de repetir erros e nem mesmo acertos. Eu só tenho o dever de ser feliz, de ter paz de espírito, de me perdoar e de ter coragem de mudar o que não me contenta.
Me dou a liberdade de aprender e, consequentemente, de mudar de pensamentos a respeito de tudo, porque eu estudo, leio, sou curiosa e não me contento em permanecer no limbo do crer sem saber, do concordar sem questionar. Nasci há longos anos, mas me dou ao direito de renascer, mental e intelectualmente, todos os dias!
E, assim, entre quedas e levantes entre equívocos e êxitos, entre logros e louros, eu cresço e, por crescer, a opinião dos que me julgam, por serem seres humanos miseráveis e banais, não me interessa em nada. Ou melhor, até que me preocupo, pois se eles soubessem como é bom cuidar apenas da sua própria vida, seriam muito mais felizes!

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 15 de março de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário