Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Concursos e remuneração atraente.

Concursos e remuneração atraente.

As pessoas querem dinheiro, querem ganhar bem e acham que a conta corrente recheada supre o azedume de ter que levantar todo dia cedo para fazer o que não lhe agrada!
Você já reparou na falta de vontade de alguns funcionários públicos? Na cara amarrada e na ausência de atenção dada a quem vai até eles? Pois, toda vez que abre um concurso (nivel médio e superior) a divulgação é mais ou menos assim: "Concurso-nome do órgão público-$$$: remuneração".
Não se fala na função que será exercida numa dedução (i)lógica de que o importante é só o salário! E depois os psiquiatras que se virem com seus pacientes e o povo que se lasque com o mau atendimento! O cidadão está lá, concursado! E quem disse que ele é vocacionado para a função? Que vai gostar do que fará?
Ah, não importa. Ele vai ganhar bem e cultivar a esperança de trabalhar pouco e quando o trabalho exceder suas expectativas no "quesito" atribuições ele vai se frustrar e seu rendimento será deprimente!
Daí tem gente lendo este texto e pensando que no setor privado é vitima de atendimento ruim da mesma forma. Sim, lógico! Mas por acaso você sabe as diferenças entre contratação celetista e a oriunda de concursos?
Os benefícios, a estabilidade? Ademais, por acaso, você já ouviu, por exemplo, no setor privado, trabalho de caixa de supermercado algum anuncio assim: “Vagas no supermercado tal salários a partir de $$ (tanto)”. Se sim, tudo bem, eu mesma já vi, mas o cerne dessa oferta de emprego é que o salário é baixo, a jornada de trabalho longa, a estabilidade inexistente! Simples, preciso enumerar outras?
Ah, se trabalhar com o povo no serviço publico pode ser ruim? Ah, minha cara, e você acha que trabalhar com pessoas no serviço privado é “barbadinha”? Nunca é ou será. Eu só acho que, concursados ou não devem estar onde estão por vontade e tesão pela “coisa”! Porque gostam e tem entusiasmo. Se não gosta de atender pessoas, amigo? Não faça concurso para a área que requer isso.
 Na verdade, se você não gosta de pessoas, porque existem as sem educação a sua solução é se trancar num calabouço e engolir a chave: gente sem noção sempre existirá, mas não é por isso que as demais mereçam ser tratadas com desprezo.

Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 28 de maio de 2015. 

Um comentário:

  1. Onde Direitos andam muito descompassados dos respectivos Deveres existem Privilégios e Regalias quando os primeiros preponderam e Abusos e Exploração quando os últimos prevalecem.

    Numa Sociedade onde a maioria das pessoas manifesta uma cidadania míope e omissa, sem consciência de quaisquer dever cívico sobram, por todos os lados, ambas distorções.

    ResponderExcluir