Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Menos religiões, mais consciência e respeito!

Menos religiões, mais consciência e respeito!

Estranha a lógica de alguns seres crentes (de qualquer religião)! Cristo disse para “amai-vos uns aos outros”. Daí esse povo respeita e ama, desde que... Desde que o outro seja como ele! Se for homossexual, bissexual, pobre, negro, ah, então não são como eles né?!
É para amar só quem pensa de forma semelhante e leva uma vida heterossexual perfeita e bem sucedida. Não, péra! Não é assim, mas é assim que os intolerantes pensam. Cristo não pode estar dentro de um sujeito do sexo masculino que não gosta de seios, cintura fina, ausência de pelos e que tenha “volume” nos genitais!
Ah, minha nossa! Esses homossexuais ofendem a “família tradicional”. Então, recebo, num dia, vários expurgos ao comercial de Dia dos Namorados do Boticário! Querem tira-lo do ar. Quem? Os intolerantes, os que entendem tudo de religiosidade e quase nada de amor e respeito ao próximo.
Eles, os paladinos da moral e dos bons costumes, aqueles que devem fornicar só para reproduzir a espécie e casarem-se castos, afinal, são perfeitos e a bíblia diz isso! (Isso e mais trocentas coisas de séculos atrás que ainda querem impor atualmente).
O comercial é lindo e trata de forma singela e não vulgar de todas as formas do amor que vemos diariamente hoje em dia e que não faz quem lhe vive um ser inferior a nós, heterossexuais, brancos e “resolvidos”. Essa absurda intolerância ao diferente provém de fanáticos religiosos que não querem viver em um País laico, mas num País regido pelas suas crenças.
Religião não determina bondade! Alma, consciência e atitude determinam. Vejo seguidamente pessoas religiosas que, em nome de seus conceitos tradicionais, são intolerantes com o diferente: homossexuais, bissexuais, negros, mulheres que não agem como as boas e velhas "mulherzinhas" de antigamente.
Pessoas que não aceitam que nem todo mundo precisa casar jovem, estudar, ter filhos e um parceiro que propicia um custo de vida caro para ser feliz! Vejo até religiosos machistas que acham que mulher precisa casar e parir para ser mulher e que as pessoas só são bondosas se são crédulas e, ainda, heterossexuais!
A bondade não está na religião, está na ética, na moral e no coração do homem. Nem todos os religiosos são bons, todavia e por coincidência a maioria dos ateus que conheci são pessoas excelentes. Não fazem o mal para os outros na crença de que Deus irá lhes perdoar: eles pensam antes de agir e não agem mal por conta dos princípios e ditames da sua consciência, não por religiosidade.
"Deus perdoa, então eu posso tudo", conheço quem aja como se pensasse assim! Se até criminoso se salva encontrando Cristo né?! Mata mãe, pai, estupra, assassina 30, mas vira crente e... (imagine uma música de suspense...): ganhou o céu! Imagina uma infidelidade, uma desonestidade, falar mal da colega, fazer pequenas maldades cotidianas e assim por diante? Perdão na certa, é só rezar o terço.
Se as pessoas tivessem uma consciência tão boa e grande como sua religiosidade e se, ela lhes cobrasse agir de forma ética e justa, quiçá o mundo mudasse. A humanidade não precisa de mais igrejas e orações, a humanidade precisa de amor, respeito ao próximo, da boa e velha tolerância, sem a qual, com Deus ou sem Deus sempre existirão preconceitos e guerras no mundo.

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 29 de maio de 2015. 

Um comentário:

  1. A Paz é a flor exuberante de um singelo arbusto...

    ... chamado Respeito.

    ResponderExcluir