Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

terça-feira, 12 de maio de 2015

Seres humanos, justiça e recompensa.

Seres humanos, justiça e recompensa.

Ah, o ser humano! O ser humano e seu conceito de justiça, de certo e, juntamente, seu ego, sua necessidade de aparecer-se, sua necessidade de gratidão e de reconhecimento vis!
O ser humano e a mania de achar que a bondade tem que ser recompensada, que ser justo e legal deve ser ovacionado, que devem haver “retribuições” divinas e humanas ao agir corretamente. Cá entre nós: este povo está negociando, permutando ou vivendo?
Sim, eu não nego que a excelência e até a bondade é escassa na maioria dos seres humanos. E falo como professora, mulher, amiga, estudante, advogada, namorada e por aí afora! Mas, por favor, não exija que a vida puna a maldade e a incompetência dos maus, porque você é bom e “diferenciado”.
Ou será que você é bom e “diferenciado” para ser mais valorizado e estimado? A bondade com certeza é uma exceção estimada, portanto, se contente em ser bom, não há necessidade de querer se rejubilar com a derrocada dos incompetentes, dos ruins e dos medíocres.
Deles o tempo se encarrega, ou não. Mas, caso “não”, vai ser por isso que você deixará de ser talentoso, esforçado, bondoso e inteligente? Porque você coloca um tal de “valer a pena” em suas virtudes? Ah, então você não tem nada de bom, você só é exibicionista e está usando os seus atos como moeda de escambo.
Seja bom profissional, bom marido, bom parceiro, bom aluno, bom professor, bom pai, bom filho, bom amante sem que exista, em sua mente, a necessidade dos ruins serem “punidos”, porque, se você pensar bem, ser ruim e medíocre já é uma excelente punição!

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 13 de maio de 2015.

Um comentário:

  1. Sem mútua plenitude e autorespeito não é possível 02 pessoas construirem um relacionamento saudável.

    Ao cultivar o autorespeito e a compreensão de quem somos não precisamos sair correndo por aí tentando arrancar de alguém a parte perdida que ainda não encontramos em nós mesmos.

    Abaixo do autorespeito existe apenas... as leis do canabalismo, que leva seres desesperados a buscar num relacionamento a recuperação dos pedaços que não encontram em si mesmos.

    Seguem então alimentando as neuroses que formam padrões de relacionamento doentios, criando os papéis complementares de vítimas e algozes, dominadores e dominados, sádicos e masoquistas... e por aí caminha a Humanidade.

    Nestas relações, os altos e baixos se sucedem, havendo luta e disputa contínua pelos pedaços perdidos, que não podem ser encontrados sem as lentes do autorespeito, pois não estão fora, mas dentro de nós.

    A relação de 2 pessoas inteiras tornar-se a mútua celebração de suas plenitudes.

    ResponderExcluir