Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Pare! Pare de ser inconveniente, baby!

Pare! Pare de ser inconveniente, baby!

Você que se acha um poço de sabedoria, que acha suas opiniões tão essenciais e a si mesmo tão sábio que sai distribuindo conselhos por aí, você que não analisa seus próprios erros e o que chama de "pecado", mas adora criticar os alheios.
Você que acha que existe uma "justiça divina" que será dura com os outros, mas não cogita da mesma "justiça" em relação aos seus erros e a todas as vezes que agiu de forma egoísta e ignorando os sentimentos alheios.
Você que adora falar mal dos outros pelas costas e apontar seu dedo "santo" na cara de quem você acha que age ou vive errado, você que não diferencia falta de educação de franqueza e crê que tudo o que pensa é verdadeiro, imutável e certo.
Enfim, simplesmente pare! Pare que "tá" feio! Vai procurar um psicanalista, um novo emprego, uma ocupação honesta, vá ler literatura que preste, estudar, carpir um lote e, por favor, esqueça-se da vida alheia ou deposite dinheiro na conta de quem você julga e em cuja existência você opina.
Assim você adquire o direito de ser "enganado" no sentido de que a sua opinião não é o que de fato é: ignorante, estúpida e desnecessária. Tipo, dará até pra fingir que tem relevância intelectual e prática e ouvi-la sem risos.
Tenho preguiça para gente arrogante, que anda de nariz empinado, que se acha a pica das galáxias. Também tenho preguiça e muito pouca paciência com gentinha convencida que se mete na vida alheia.
Aliás, sempre tive tal preguiça e hoje em dia ainda tenho preguiça de conviver com gente que "paga pau" pra criatura que se acha o suprassumo do universo e não é, porque se tivesse em si algo de valioso teria humildade, alegria e graciosidade, não arrogância, petulância, mau humor e grosseria. Enfim, conviver com seres humanos às vezes me da uma preguiça tão grande que beira a sonolência!

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 14 de maio de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário