Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 5 de julho de 2015

Etiqueta e redes sociais: socorro!

Etiqueta e redes sociais: socorro!

Pela ultima vez: se sua opinião fosse um iphone 6, uma camionete importada ou uma viagem de 15 dias para a Europa, então eu aceitaria! Fico estarrecida com a falta de bom senso de alguns indivíduos que acham que suas opiniões são imperdíveis e, mesmo que contrárias ao ponto de vista do criticado, devem ser expostas.
Eu continuo esperando algum ser humano sensato lançar um livro de etiqueta para as redes sociais. As pessoas haverão de, um dia, entenderem que as redes sociais são uma extensão do que vivemos fora delas e requerem a mesma educação, sensatez e classe no trato interpessoal.
Um exemplo: estava num evento outro dia e duas pessoas católicas conversavam. Uma delas disse que tem uma cunhada que lida com "aquela religião dos 'espíritos' e que até que é uma pessoa do bem". Eu poderia intervir e dar uma explicação sobre o que conheço do kardecismo, ou dizer que o fato da pessoa não ser da mesma religião deles não implica que ela não seja do bem.
Mas dai pensei o óbvio: "Alguém por acaso pediu a minha opinião?". Se eu tivesse algo a agregar por concordar com eles seria interessante opinar, mas eu não tinha! E, ao longo de anos de vida eu aprendi que não sou ninguém para dissuadir o pensamento alheio e não sou arrogante de achar que o meu ponto de vista é tão correto e sábio que "deve" ser exposto quando não requerido. Isso em jantares, mesa de bar e nas redes sociais.
Vejo postagens que me fazem rir de tão machistas, fúteis, tolas e "non sense" que as acho. Mas nunca, em 6 anos de Facebook eu me meti em postagem alheia discordando do cidadão que postou. Mas as minhas são, seguidamente, objeto de contrariações por parte de pessoas que se acham tão sabias que deduzem que suas ideias devem ser expostas, pois, assim elas me "salvarão" da minha "ignorância" ou sei lá o que!
Eu não me meto ou opino contrariando ninguém, porque não pretendo mudar o pensar alheio, porque respeito, só não trago pessoas diferentes para o meu convívio íntimo, mas lhes dou o meu respeito e aceitação consubstanciados no meu silêncio, no ato de ignorar e só curtir e comentar o que se coaduna com o que penso!
Simples né?! Não para todo mundo, tem gente que não conhece nada de classe, etiqueta e educação, além de ser muito arrogante e presunçosa: "Ai, eu sei mais, vou ensinar essa burra, porque eu conheço a vida"! Ah, anota sua opinião num papel e usa de supositório minha filha! Obrigada, licença!
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 06 de julho de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário