Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Mulher honesta?

Mulher honesta?

Sobre mulheres: santa nenhuma é! Mas, deixo aqui algumas considerações. Primeiramente, venho dizer que o pior tipo de "vagaba" é a que se faz de santa. "Ai que horror! Ai credo! Ai que vergonha!". Eu não sou congressista evangélico pra ser fiscal de cú ou de fodas alheias.
Pouco me importo se a criatura dá mais que chuchu na cerca ou menos que uma freira. Problema é dela, ela dá o que é dela, não meu. Agora, filha, não vem com trovinha de "santidade" pra cima de mim ou em mesa de bar. Não precisa contar indecorosidades, isso é um fato, mas daí a pintar falsa imagem já é muito "baixo nível".
Outra, não fale mal das garotas de programa se você dá para o sujeito só porque acha que ele é abonado e ainda pensa em engravidar para conseguir pensão, porque tem preguiça de estudar, trabalhar e colocar o cérebro para funcionar.
Puta é quem, podendo trabalhar, estudar e ser honesta para se sustentar, distribui mundo a fora tendo como critério de escolha "hectares", camioneta, "dr.", sobrenome, salário e etc.. Antes as que fazem o mesmo usando o critério da beleza, ao menos estas fazem porque gostam e não, porque querem ser sustentadas.
Ah, e as garotas de programa? Caramba! Agregam valor ao corpinho que cuidam como objeto de trabalho e fazem o que muitas "caça marido rico" não querem fazer: trabalham! Elas alugam o que lhes pertence, paga quem quer, cria apego quem quer!
Aposto que elas não ficam sendo "stalker" de homem, inclusive casado ou comprometido. Ou seja, menos hipocrisia, porque tem gente cujo telhado é de cristal barato, mas pensa que é de aço. Querida, seja menos falsa, please!
Prostitutas não procuram homem elas dão valor ao trabalho delas, cada uma com seus critérios e recebem pelo que fazem. Não saem por aí escolhendo o cara para se “fazer de santa” e conquistar um marido e futuro pai de seus filhos com o intuito de amarrar seu cavalo na sombra.
Elas fazem por elas, fazem o que, teoricamente, gostam e ganham dinheiro se “alugando” por aí. Mas não dizem que amam, que adoram e que “nunca fizeram” isso ou aquilo, ou seja, são mulheres muito mais honestas e, portanto, integras do que muitas pseudosantinhas que existem por aí.

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 15 de julho de 2015.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário