Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 12 de julho de 2015

Eu sou mais eu e meus imodestos ideais de beleza!

Eu sou mais eu e meus imodestos ideais de beleza!

“Namore com alguém que brinque com seu clitóris e não com seus sentimentos”. Sim moça, tenha o mínimo de bom gosto e de apreço por si mesma! Porque namorar otário lhe faz perder o direito de se intitular, parafraseando a "nobre" presidente, uma mulher sapiens!
Homens existem para lhe fazer feliz, para lhe fazer gemer (quiçá gritar sem brigar, para ser menos vulgar), para lhe fazer corar (sem sentir vergonha)e se descabelar (sem ser por preocupação ou raiva), não pra lhe fazer chorar (só se for de emoção, claro) ou de otária!
Estão aí para lhe tirar o batom (não o rímel e o delineador), os pudores, muitas gargalhadas, risadas, as roupas e não o bom senso e o auto respeito, estão para lhe dar orgasmos (centenas, incontáveis!), carinho, amor, paixão, tesão e segurança neles e não olheiras, mal humor e insegurança, menos ainda ofensa psicológica, verbal ou física.
Simples assim, agora assimile isso e mande o acéfalo sair atrás de gente idiota e egocêntrica. Como ele, claro! Você só recebe o valor que se dá, valor você tem, isso é óbvio, basta aprender a impor-se perante o mundo e as pessoas bestas que a vida irá lhe apresentar.
Por exemplo: eu já ouvi mais de 3 vezes algo assim: "Tu tens um corpão, porque não malha para ganhar mais músculos nas pernas!?". A resposta sincera seria: porque eu me amo assim, natural, mas firme! Mas eu digo que é porque meu tempo está tão curto quanto minha vontade, sou educada e modesta na resposta.
Não que eu não deva voltar a malhar por questão de saúde, mas dai agora eu sou obrigada a achar lindo mulher com músculo saliente? Eu acho que mulher tem que ser magra, ter busto e bunda! Só! Quando a moda era ser esquálida eu não me tornei anoréxica! Ou seja, não sou escrava de modinhas, do gosto da "maioria", do ser "cavala de boa"!
Adoro musculação, (quem me conhece há mais de 5 anos sabe), mas estou numa fase de me sentir linda como estou! Sim, eu me sinto! É errado isso né?! Porque mulher que se "preze" sempre tem que se achar defeituosa, fazer dieta, se exercitar e fazer agachamento. Então, ora, ora, veja só: eu não me "prezo" enquanto mulher!
Se me acho perfeita de corpo? Não, mas quase, se usarem esses recursos de imagem de vídeo ou foto que o cinema e revistas usam eu ficaria, mas eu sou professora e advogada, não musa fitness, atriz, modelo ou "qualquer coisa" famosa. Como que nem homem e bebo quase como um! É, eu não sou mulherzinha. Ah, e o cabelo curto? Amo! Pra você que acha que o cumprido chama a atenção dos outros, experimente cortar! Isso, claro se você tiver um nariz aceitável e se "garantir", do contrário mantenha a síndrome de Sansão.
Por favor, permita-me eu me amar e se ame também, a vida é curta demais para se sentir feia. Se sinta inculta e ignorante então, assim você irá atrás de cultura e contribuirá para a evolução do mundo, porque, acredite, seus músculos não falam! Não sou obrigada a fazer o gosto de homem, nem a ser uma mulher que se dedica a ter uma aparência a eles agradável! Eu me dedico em ser feliz e bem resolvida, os outros que se lasquem! Assim na cama, como fora dela. Eu sou mais eu, brother!
Ademais, eu pessoalmente, dona de um cérebro bem ativo, nunca exigi o corpo do Rodrigo Lombardi de namorado nenhum, porque sei que corpo sem atitude não me serve pra nada! O cara que me quiser que desista de me ter "saradona", que seja um bom namorado e me ajude a "definir" o corpo com muito sexo, ou procure uma malhadora de plantão! Eu me garanto magra e bunduda!  Ademais, meu lado masculino acha feio mulher musculosa e eu prefiro ter um corpo que eu "comeria", porque nasci para me fazer feliz e não para satisfazer “fetiche” de macho algum.
Já parou pra pensar como seria se as pessoas parassem de se olhar nos espelho com tanto rigor e começassem a olhar pra dentro de si com o mesmo nível de exigência com que se analisam fisicamente? Se parassem de se acharem feias e passassem a duvidar mais das suas convicções, intelecto, equilíbrio emocional e cultura?
Quem sabe as bibliotecas lotassem, as livrarias melhorassem a qualidade das obras vendidas, os psicólogos (e até sexólogos, porque tem muita gente mal resolvida e insegura sexualmente) conquistassem mais pacientes e os sites e blogs inteligentes fossem mais visitados e, assim, teríamos um mundo com pessoas mais cultas, "dialogáveis" e, realmente, interessantes? Quem sabe!? Eu adoraria viver num mundo onde o meu "ideal" de beleza prevalecesse. Ah, como eu adoraria!

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 12 de julho de 2015.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário