Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Viva, apenas viva!

Viva, apenas viva!

Eu não gosto de gente que reclama. Sobretudo do que permite! "Porque meu marido é relapso", "porque minha esposa anda frigida", "porque minha vida anda um tédio", "porque estou mais quebrado do que arroz de quinta", "porque minha rotina é infernal", "porque eu amo finais de semana e odeio segunda-feira", e assim por diante!
Dai, eu pergunto, você que reclama tanto é uma árvore, uma planta? Não!?
Então, por que reclamar e não mudar? Sei lá, sair do lugar!!! Mudar de situação, separar-se, mudar de cidade, de emprego, de País, de vida? Por que não agir? Por que não romper com o que tanto se lastima? Covardia? Ou, meramente, medo de agir e deixar a infelicidade para trás?! Vejo, seguidamente pessoas reclamarem de muito e não fazerem nada, ou seja, são pessoas que gostam de cultivar a própria infelicidade e eu desconfio disso.
O prazer e a alegria são instintos naturais do ser humano. Queda-se lastimando e reclamando quem é covarde ou quem, na verdade, não é infeliz, mas tem preguiça de agir de forma a se realizar, afinal, a felicidade requer atitude e tem quem não queira agir.
Eu não temo mudanças, reviravoltas, radicalismos, não desde que seja para o meu prazer e felicidade. Nesta vida eu só tenho medo de aranhas (fobia, na verdade) e de quedar-me inerte diante da infelicidade. Ah, isso nunca me pertencerá! A vida é minha e a (auto) realização também.
Simplifique, viva, sorria, gargalhe, seja feliz e deixe a auto piedade para os fracos! Para os covardes, enfim. Viva meu caro, viva e não meramente reclame ou desconfie, viva intensamente, goze intensamente e deixe de se policiar e deixar para depois o que pode viver agora.
Vivencie o hoje sem contar demais com o amanha, sem devanear, sem esperar, sem se preocupar, sem se preocupar com o pensamento e paranoias. Vive, excite-se, aproveite e deixe o ruim de lado, simplesmente viva o que de bom há para viver. Sem mais, sem noias, sem expectativas tolas.
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 15 de julho de 2015.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário