Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

segunda-feira, 6 de julho de 2015

O saguzeiro, a presidente, a mandioca e a ausência de “qualquer coisa” sapiens.


O saguzeiro, a presidente, a mandioca e a ausência de “qualquer coisa” sapiens.

Recentemente eu fiquei sabendo que existe uma pessoa em busca de um “saguzeiro”. Sim, de um pé (árvore) de sagu. Aquelas amáveis bolinhas que, no sul, gera algumas brincadeiras, tipo: “Tem um carro cheio de homem, joga vinho e terá sagu.” Sim, piadinha medíocre, mas quem veio do interior do Rio Grande do Sul e teve amiga ou amigo metido a piadista e bagaceira já ouviu.
A inteligência deste ser humano, o teor de sua cultura e, digamos, de sua inocência quase acéfala lembrou-me da mulher sapiens da vez: a nossa excelentíssima presidente da republica Sra. Dilma Roussef.
Afinal, a mesma, além de desconstituir o machismo por trás do gênero “homo sapiens”, afinal, foi “alongado” para mulher sapiens, criança sapiens, adolescente sapiens, hetero sapiens, bi sapiens, trans sapiens e etc., além do tradicional e já superado “homo sapiens”, ovacionou a mandioca!
Então, por que será que eu teria que rir da jovem estagiaria de agronomia que saiu em busca do “saguzeiro”, né!? Se vivemos numa nação em que a presidente, em rede nacional, abre a boca e mostra que deve ter comprado o diploma universitário que, segundo “consta” possui.
Somos um País em que o poder se sobrepõe a cultura, em que as falácias se sobrepõe a verdade e que o bom senso se encontra mais escasso do que diamante no meu quintal e milhões na minha conta bancária. Enfim, vem operando no “negativo”. Tivemos o cidadão analfabeto dos 9 dedos presidindo o País, após temos a mulher sapiens, vulgo, tartaruga em cima do poste: ambos vexamosos!
Só que o Lula ainda tinha lábia, o Lula ainda tinha certo carisma e um poder digno de um Hitler de persuadir a população “proletária”. Sim, confesso que não é tão difícil de fazer isso frente a um povo “teleguiado”, sem estudo e sem a sutil capacidade de questionar, de pensar, de ir além do obvio, de ir além do noticiário das 21h, da telenovela e do reality show de quinta categoria.
O Brasil veio decaindo a tal ponto que estagiarias de agronomia procuram um pé de sagu, a presidente saúda a mandioca e às mulheres sapiens (colocando todo o respeito que mulheres intelectuais lutaram para conquistar embaixo do chão) e, pra ajudar, nem a seleção brasileira vem dando orgulho. Aquele “7X1” da Alemanha foi uma vergonha notória, isso sem contar o bom e velho mensalão, lava jato, Petrobrás, legislativo comandado por evangélicos fanáticos, igreja querendo afetar a laicidade do Estado e outras mil vergonhas e pequenos “rasgos” à Constituição Federal diários.
Estamos numa fase vergonhosa, do futebol à politica. O que me alivia é que em pouco mais de meio ano virá o carnaval, as centenas de mulatas seminuas, as musas fitness exibindo suas super bundas e, assim, resta-nos um elixir: em matéria de bunda, a gente sempre arrasa, inclusive na hora em que somos enrabados pelo governo!
Oh, beleza! Bem vindo ao Brasil, a nação cujo maior problema é e sempre será a cultura do jeitinho, a cultura do povo que nada faz e tudo espera. Ou melhor, a ausência de cultura, de audácia, de brio, de estudo, de educação e de ânimo para romper com as barreiras impostas pela mídia, pelo conhecimento parco que faz a cabeça de leigos que não se prestam a usar a informação a qual tem acesso para adquirir conhecimento útil, afinal, são tantas fofocas dos “famosos”, modelos e vídeos pornô, pra que pensar né!? Pensar, para alguns, é algo demasiado dolorido, assim como descobrir que não existe “saguzeiro”, mas fécula de mandioca. Por sinal, você que saudou a mandioca com a presid(ANTA), aproveite e dê um salve ao sagu!

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 06 de julho de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário