Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quarta-feira, 29 de julho de 2015

O excelente não se “doa” fácil.


O excelente não se “doa” fácil.

Semana passada conversava com duas amigas e, se referindo a uma conhecida em comum e sua inabilidade em manter relações sérias uma das duas referiu-se a ela dizendo: “Fulana não é mulher de um homem só, a bicha gosta mesmo de dar.”
Pra começar não curto o termo dar, porque acho machista, afinal a mulher é quem escolhe com quem transa e após alguns orgasmos o cara não “leva” nada dela, tipo, não vai “levar” pra casa uma vagina ou par de seios, não é? Ou seja, a mulher não deu nada, eles só tiveram uma relação sexual. Pronto!
Mas, enfim, fato é que antes de gostar de sexo a gente precisa gostar da gente e, gostando do que temos dentro do cérebro e entre as nossas pernas, não custa nada selecionarmos né?! Uma busca racional e logica por uma companhia agradável, sem pedantismo, sem desespero, sem atos tolos.
Assim como a modernidade e o feminismo não nos tiram a sensibilidade, logo, se gostamos de alguém, se o sexo é bom e há confiança e afinidades, porque não querer mais do mesmo? Acho doentio uma pessoa precisar variar de parceiros com tanta assiduidade ao longo da vida.
Releia a ultima frase. Releu? Eu falei pessoas e não mulheres. Acho que homem que se preza e que sabe o seu valor também não precisa sair caçando várias, a menos que nenhuma o satisfaça realmente ou sei lá! Talvez procurar um terapeuta resolva, mas esse povo prefere encher a cara a se “curar”.
Enfim, essa necessidade de ter que transar com alguém e dormir acompanhado, de ter que ter um número variável de parceiros, ah, isso não é saudável meu amigo! Aliás, é uma característica da histeria certa pseudo-hipersexualidade, vontade de chamar a atenção, de ser foco do desejo alheio e de realizar-se desenfreadamente, sendo que, por mais que variam os parceiros, a realização genuína não chega. É encenação, faz de conta, teatralidade. E ainda tem gente que acha isso sexy! Vai entender esse povo desinformado e superficial!
Não custa dar um conselho né?! Amiguinho, você costuma doar filé mignon? Suponha que você abateu um boi, vai ser o filé que você vai oferecer pro seu amigo ou vizinho em doação? Não né?! Porque o excelente a gente guarda pra gente, o contrafilé você até doa com facilidade, mas o que é mais “nobre” vai preservar.
Logo, suponha que a pessoa seja boa a ponto de se considerar a “la crème de la créme”, o filé, no caso do exemplo, você acha que ela vai sair “distribuindo-se” por aí? Tenha certeza que não, a menos que seja psiquiatricamente enferma, mas, neste caso, não será filé, será uma peça de picanha com mais de 1,5 kg.  
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 30 de julho de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário