Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

terça-feira, 7 de abril de 2015

Cada um na sua, mas com alguma coisa em comum.

Cada um na sua, mas com alguma coisa em comum.

Recordo-me de uma propaganda antiga da marca de cigarros “Free” que tinha o seguinte chamariz: "Cada um na sua, mas com alguma coisa em comum.". Lembro-me também da canção do Barão que dizia que "todo mundo é parecido quando sente dor".
Enfim, somos únicos no mundo, mas com tendência a semelhanças. Homens reclamam de mulheres, mulheres de homens. Todavia, aquilo que a sua primeira namorada desejava de você, no quesito atenção e afeto, tenderá a ser o mesmo que a sua namorada do bailinho de idosos aos 85 anos desejará.
O mesmo em relação ao seu namorado, ao homenzinho que lhe beijou pela primeira vez. Beleza? Bunda grande? Bom humor? Vontade de transar constante? Inteligência? Pois é, alguns atributos atraem gregos e troianos.
E as gregas? Mulheres gostam de segurança, de romantismo na medida, sem insegurança, sem melação, mas algo que lhes faça sentirem-se únicas. Mulheres querem sentirem-se amadas, é por isso que existiam os cavalheiros!
Sabe?! Aqueles que abriam a porta do carro, mandavam rosas, escreviam poemas, andavam do lado esquerdo da rua, faziam surpresas, elogiavam. Por quê? Porque praticamente todas (medo de generalizar!) gostam de cuidado e do "bom trato". Pode ser a mulher simples ou a sofisticada, a brejeira ou a urbana.
Homens e mulheres se sentem amados de forma diferente! Homens é na cama, mulheres é em público. Tanto que relevam eventual descompasso sexual quando sentem-se adoradas. Homens se apaixonam pelo sexo bom, podem deixar a esposa por isso, mulheres fazem isso pelo cara mais afetuoso.
Até na traição o que motiva um e outro difere! Ademais, sou da opinião de que guampa e golpe do bilhete premiado só leva quem faz por merecer. Estranho! Para algumas pessoas isso é complicado, difícil, para mim é simples, humano, elementar. Bem, eu gosto de diálogos, de conhecer pessoas e de observá-las, acabo, portanto desvelando a superfície humana.
E compreendendo que cada ser se sente livre de uma forma, bem sucedido de outra, mas, no amor e na dor os sexos se aproximam, se assemelham, afinal, se masoquismo sexual pode ser excitante, o afetivo não é.
Segurança, atenção, sexo e carinho: qualquer um curte, em que pese uns valorizem mais uma coisa do que outra, o certo é que o prazer é um anseio humano, do ventre ao leito de morte.
Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 07 de abril de 2015.


Nenhum comentário:

Postar um comentário