Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Eu e meus cabelos, meus cabelos e eu.


Eu e meus cabelos, meus cabelos e eu.

Pulula no imaginário feminino sermos (nós mulheres) adequadas aos anseios masculinos de sensualidade, beleza e aparência. Não tenho nada contra, mas algumas coisas, como eu sempre digo, passam dos limites.
Canso de ouvir coisas estranhas, muito estranhas, estranhíssimas, tipo: “Você tem um corpão, uma bunda grande, ia ficar linda com um cabelo no meio das costas.” Tipo o que gente? “Linda” ou atraente ao sexo oposto?
Já reparou no visual das garotas de programa? As que não têm bunda compram, as que não têm seios compram, as que não têm cabelão compram. Gastam horrores, por que? Porque o objeto de trabalho delas é o corpo! Isso sem contar na malhação desenfreada para aumentar perna, coxa e etc..
Eu sempre respondo, quando me falam isso, humilde e educadamente, que eu gosto mesmo é do meu rosto. E que eu sinto calor, muito calor no MT, acho sinceramente que nunca vou me acostumar com o clima demasiado quente daqui. De toda forma, sem falsa modéstia, nariz, olhos e sorriso (boca) são o que mais gosto em mim.
E são as regiões que ficam em destaque com o corte curtinho, que, além de tudo, é mais prático no quesito tempo e também mais econômico. Eu me prefiro assim, “p****”!
Isso sem contar a quantidade imensa de “damas” ficando loiras porque se espalhou mundo a fora que “os homens preferem as loiras”. Tem mulher que fica linda morena, é linda naturalmente, mas corre lá ficar loira para agradar macho! Arre, valha-me! E depois ainda se crê que o machismo é masculino. Filha, a machista é você que alimenta o ego dos homens como se dependesse deles para ser feliz! 
Por que será que as mulheres ainda acham que a gente tem que fazer tudo só porque os homens gostam? Eu sempre quis que meus ex-namorados gostassem mais de Law and Order SVU, House, filmes de suspense e terror, lessem mais filosofia, dormissem menos, comessem mais carne do que eu, fossem mais cômicos, mais bem humorados de manha e mandassem mais flores e presentes e nem por isso eu deixei de namorá-los (por pouco tempo, é verdade!), se um cara quiser uma cabeluda, simples, tem centenas delas ao meu redor, Dio Santo!
Mas, enfim o que uma bosta de visual “atraente” vai fazer por mim? Atrair mais olhares? Não preciso. Eu preciso, isto sim, é atrair mais gente inteligente, bem resolvida e interessante, não sou modelo para depender de olhares para ter “ibope”, nem carente para precisar de “likes” e elogios para ter autoestima. Se o cidadão deseja uma mulher totalmente ao seu estilo fisicamente, simples, existem aquelas bonecas super-realistas que satisfazem os seus gostos. E eu não sou uma boneca para homem brincar e se sentir agradado, se, até hoje, nem intelectualmente eu fui agradada. Não sou obrigada. Desculpa, com licença.

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 16 de abril de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário