Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Experiências passadas e machismo.


Experiências passadas e machismo.

A verdade sobre a questão se a mulher deve ou não deve omitir do parceiro atual os parceiros que já teve: grande porcaria! Encaremos o assunto com racionalidade: homens inventam, mulheres omitem. Por quê? Porque foi assim que eles foram criados.
Qual seria a verdade racional sobre isso? Não é necessário inventar, mocinho machista! A meu ver, especialmente, muitas ou poucas parceiras não é sinônimo de talento. Significa, apenas, que você achou por bem transar muito, não que você seja bom de cama. Aliás, às vezes os melhores e as melhores por saberem quão bom são, conseguem ser mais seletivos.
De toda forma, o passado passou, não passou? Quando você conhece uma pessoa deve lhe importar quem ela terá daquele momento em diante, não quem ela teve! E, sejamos sinceros, isso depende tanto de você quando da outra pessoa.
Se você for ruim, relapso e frio corre o risco de ser traído com outro. Ou outros, dependendo da forma de pensar da parceira. Eu confesso que um pé na bunda é mais digno que um par de chifres, em que pese, não nego, tem homem que merece! E mulher também.
Mas, retomando, acho que o medo dos homens de mulheres experientes reside exatamente nisso: se elas têm experiência possivelmente sabem com mais cátedra o que querem, o que não querem e sabem distinguir o razoável do excelente! Ui, que medo né meu amigo machista e ruim de cama?!
Minha mãe adora contar para minhas amigas o meu problema com o volante! Com carros, para ser exata. Quando eu tinha carro bom (leia-se, não popular e com maior potencia de motor) e ainda quando usava o do meu ex-marido que era melhor que o meu (camionete importada, cambio automático, potente) eu adorava dirigir! Fazia 50 km por dia para visita-la, enfrentava estrada perigosa de dia e de noite.
Daí eu vendi o carro, guardei o dinheiro, usei para fins mais nobres, fiquei com um Fox, enfrentei problemas com multas tomadas por terceiro, suspenderam minha CNH, fiz reciclagem, tudo com uma péssima vontade, afinal, eu não curto dirigir o carro que tenho. Que temos, enfim.
O Fox é pouco potente, cambio manual e de marchas chatas. Eu acho estranho e, realmente não gosto. Provavelmente se eu não tivesse tido um carro 1.6, importado e bom de dirigir eu nunca me irritaria com o pobrezinho do carrinho que tenho agora, certo? Menos ainda se não tivesse usado a camionete do, na época marido, por 6 meses porque ele estava com a carteira suspensa!
Logo: se você não sabe que existe coisa melhor, qualquer porcaria lhe contenta! Foi assim comigo em relação a carros. E é assim com qualquer pessoa em relação a sexo. Homens inseguros morrem de medo de mulheres experientes. Simples!
Bem, depois dos meus 30 anos eu até “criei” um desapontamento póstumo com os meus ex-namorados, lá da época dos meus “inte”! Inclusive ex-marido, eram mais velhos com o mínimo de 15 anos de diferença em relação a mim. “Nossa, o que eles achavam em mim?”. Pergunto-me! Deviam ser inseguros, com certeza, em que pese eu sempre tenha sido boa de papo e madura para a minha, na época, pouca idade.
Enfim, se devemos ou não “mentir”? Se devemos “omitir”? Creio que um homem maduro e seguro de si nem vai perguntar para a parceira com quantos ela transou. Se perguntar é porque ele é um idiota, e, como tal, merece uma boa mentirinha e uma risada interior. Acho justo!



Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 30 de abril de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário