Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Mulher de sorte!

Mulher de sorte!

Eu sou uma mulher de sorte! Não pelo que eu tenho no banco, não pelo que eu escolho, porque, às vezes deixo minha intuição de lado e faço umas escolhas infelizes ao extremo que me levam à frustração superável, obviamente. Sou demasiado resiliente.
A verdade é que tenho sorte pelas pessoas que a vida me apresenta. Se todas boas? Se todas perfeitas? Se todas leais? Não, mas todas, da sua forma, com o seu jeito de ser, me fazem bem, me fazem feliz, em especial quando me fazem sentir-me estimada, admirada e bem quista.
A semana que antecede o meu aniversário vem sendo algo do estilo “duas semanas em uma”: gripe, decisão de desistência e hoje ainda fiquei sabendo que minha CNH foi cassada por conta de atos estúpidos do meu ex-marido em 2010 usando de um carro que estava em meu nome. “Casa de ferreiro, espeto de pau”, certo?! Não avisar o Detran? Estupidez a minha. Confiar no ex no mês que antecedia ao divórcio dando-lhe um carro? Estupidez a minha ao quadrado. Elevada na décima potencia, quiçá!
Todavia, nada disso tira o brilho de saber o que mereço, de ter ao meu lado e de dar valor a pessoas que, de um jeito simples, porém sincero, fazem minhas horas terem mais brilho, mais luz. Dão graça a minha vida!
Desde um presente da minha mãe, um comentário de uma colega, até o abraço de uma aluna, o respeito nos olhos de um aluno, incluindo o sentir-me valorizada e adorada por quem, por ter afinidades comigo, deixa claro o que sente e o quanto me gosta.
Ser estimada, ser valorizada e ser gostada de forma sincera e simples é uma dádiva homérica. Sentir o respeito do meu avô, sempre tão sincero e ríspido com suas palavras frente a uma escolha equivocada minha que lhe envolveu, me faz sentir amor!
Amor pela vida, amor por mim, amor pelo mundo, amor por todos que me cercam! E, sinceramente, é possível amar as pessoas como se não houvesse amanha. Todavia, eu só consigo amar quem me ama! Fazer o que? Não sou perfeita, mas sou amável. E eu amo muito quem merece o meu amor! Eu sou uma mulher abençoada, de sorte, muita sorte!

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 09 de abril de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário