Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

terça-feira, 28 de abril de 2015

O meu feminismo: das revistas ao sexo não casual.

O meu feminismo: das revistas ao sexo não casual.

Sabe quando a gente percebe que vivemos numa sociedade machista? Quando nove em dez reportagens de revistas e na internet são no estilo: "o que eles não gostam", "as atitudes femininas que mais irritam os homens", "dicas de sexo oral com profissionais para deixar seu parceiro louco", "as roupas que eles não acham sexy", "os segredos de beleza e o treino da fulana (dona da bunda da "vez"- sempre haverá uma!) para deixar seu namorado maluco", "eles falam o que esperam numa relação a dois" e assim por diante!
Penso que se essas mesmas reportagens fossem voltadas ao público masculino eu teria tido namorados menos inaptos afetiva e emocionalmente. E "eteceteraetalmente". Deduz a mídia que só as mulheres devem agradar seus machos e lerem as reportagens toscas que publicam.
"Ah, mas é assim porque homens não comprariam revistas com dicas sobre mulheres eles gostam de economia, carros e mulher pelada." Hum, raciocínio machista esse seu meu amigo! Mil vezes ler minhas revistas de filosofia e psicanálise do que uma dessas que dão dicas do que fazer para conquistar homem.
Por que não se investe em matérias, para eles, sobre o que nós mulheres gostamos? Porque fomos feitas e ainda somos criadas para agradar e não para sermos agradadas? Ah, bom! E ainda me perguntam por que eu estou solteira. Pois é, sempre foi por opção, companheiro!
Porque homem machista que acha que a vida gira em torno do seu umbigo eu dispenso. E não falo sexualmente apenas! É preciso ser muito macho para conhecer uma mulher de forma mais profunda! É preciso ser homem com "h" maiúsculo para conhecer uma mulher realmente. E essa espécie está em extinção.
E a mídia participou disso: temos um universo de mulheres dispostas a agradar e conhecedoras dos anseios masculinos e um universo de homens que julgam ser impossível conhecer a alma feminina. Mas, tentaram quando afinal? Fazendo piadinha na internet? Ah, mas matérias com este cunho não saem na Playboy! Tinha esquecido.
Eu acredito e confio na inteligência masculina! Sim, eu sou feminista e mais, acho que o modelo machista impõe aos próprios homens o dever de serem o que naturalmente não são: tolos!
Feminismo não é repúdio ao homem, é querer que o mundo saiba que mulheres não são inferiores ou objetos e que homens que se prezam não precisam tratar como objeto quem merece seu respeito!
Sou feminista e tenho o corte de cabelo que gosto, a cor que me sinto bem e o corpo que me faz sorrir ao olhar no espelho. Não faço dieta para caber em padrões, nem malho desvairadamente para ser agradável aos olhos alheios se eu me gosto como sou. Simples assim! E sim, eu sou hetero, mas não preciso de sexo ou de homem para ser feliz.
Meu humor não se condiciona ao meu status de relacionamento. Sim, sou feminista e não curto sexo casual, porque não sou obrigada! Se já ocorreu? Ora essa, "quem nunca?". Se me senti mal? Jame! Até porque depois dos 30 você não faz nada que possa se arrepender, você aproveita e não lamenta. Mas daí a ser me imposta a obrigação de ser “super” libertina, porque sou “super” livre de espírito é manobra machista para desvirtuar a liberdade feminina e valer-se dela. E fazer dela pouco caso.
Sou feminista e acho que antes de querer que nós privilegiemos quantidade a qualidade de parceiros, os homens poderiam parar de se impor a tarefa de serem garanhões e ficarem com uma por noite. Porque eles não são cavalos, touros reprodutores, nem precisam ser promíscuos para serem homens.
Da para pensar, sentir e, assim, ser mais macho ainda! Eu preciso de mim, do meu amor próprio e se careço da companhia de alguém em algum momento da minha vida é de quem saiba amar, libertar, aceitar e cuidar. Não de qualquer um.
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 28 de abril de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário