Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Não engane, não se engane!


Não engane, não se engane!

Se as pessoas me pedissem uma dica para suas vidas eu diria apenas uma: sejam vocês mesmas! Amem-se, assumam-se, não tenham vergonha de seus atos! Se os outros quiserem sua companhia? Ótimo, se não quiserem, azar o deles! Amigo, mais amor próprio, por favor! Meça seu apreço por si mesmo “parça”!
Eu não sei qual é o problema que eu tenho, quanto mais explicações eu procuro, mais zonza eu fico. Fato é que, a cada término de relacionamento, eu fico sabendo, por meio de terceiras pessoas, de coisas dos meus ex que eu nunca imaginei, vez que nunca me disseram e, o que é pior, se colocavam do meu lado no “posicionamento”.
Você fuma? Diga desde o inicio. Você gosta de usar calcinha e não cueca? Diga. Você gosta de beber até dormir? Diga. Gosta de seriados entediantes ao gosto do outro? Diga. Gosta de dar o rabo? Diga. Gosta de chorar assistindo vídeo clipe? Diga.
Gosta de beber cerveja e cachaça ouvindo musica sertaneja? Diga. Gosta do “ex”? Diga. Gosta de apanhar e ser mal tratado? Diga. Gosta de rapazes e de meninas? Diga. Gosta de programa de culinária? Diga. Gosta de absinto, maconha ou cocaína? Diga.
Afinal, presume-se que, gostando do que gosta, fazendo o que faz e agindo como age, você é feliz. Então não omita de ninguém (talvez só da policia, sei lá!). Se você é feliz fazendo o que faz quando ninguém está olhando, não carece esconder. Ninguém pode ser tão importante que precise que você se faça passar por quem não é.
Ninguém pode ser tão virtuoso para valer a pena você mentir e omitir fatos essenciais da sua vida e predileções. Ninguém pode ser tão necessário, atraente ou interessante para você fazer de conta que tem outra índole, que pensa diferente, que “nunca” fez isso, que só “fez” uma vez aquilo, que é, enfim, quem não é e gosta do que diz que não gosta, que precisa do que diz que dispensa para ser feliz.
Opa! A menos que você não seja feliz sendo quem é e fazendo o que faz? A menos que você tenha vergonha? Mas, se você é feliz, por que ter vergonha? Ninguém merece ser enganado, assim como você não merece estar com alguém que precisa ser enganado para gostar de você, certo?!
Você merece quem lhe aceite como você é. A menos que, no fundo você não se aceite? A menos que no fundo você tenha vergonha de si mesmo? A menos que, no fundo, você queira ser alguém diferente? Bem, no quesito mudança intima, querer é poder! O que você não aceita em si, você pode mudar. Você só não muda o que não aceita no outro, o que lhe descontenta em si, só depende de você!
Seja franco, seja sincero. Não iluda, não engane, não diga o que não sente, não diga que não faz o que faz ou que faz o que não faz. Não há necessidade. Um dia, por caminhos tortuosos, ou não, a verdade virá. E ninguém que valha a pena ser enganado se contenta com a mentira. Entendeu o trocadilho? Só se engana quem convém muito, e quem convém muito não se contenta com o pouco, com o raso, com o falso, com o inventado.  


Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 14 de abril de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário