Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Doces momentos, belas lembranças.

Doces momentos, belas lembranças.

Acho que todos os perrengues que a gente passa na vida são anulados por aqueles momentos em que sorrimos nos lembrando de algum acontecimento ou de alguém! Esses momentos impares dão luz à nossa existência.
Não importa o aperto financeiro, a decepção familiar, o “falso amigo”, os colegas desonestos, não importam as pessoas estupidas e medíocres, a malicia, o governo que nos lasca diariamente: frente a uma boa pessoa e a uma doce lembrança nada disso dói demais!
Frente a uma paixão, a um beijo, a um abraço e a doce saudade disso tudo, o ruim é nada. Não vale a pena, não incomoda, não tem relevância. Um fato bom e uma pessoa especial anulam mil fatos ruins e mil pessoas comuns, insossas e sem graça.
Eu sou uma pessoa que valoriza a graça, não a desgraça. Eu valorizo o sol, não a ausência dele. Eu valorizo a luz, não o escuro. Convenhamos que a escuridão é só a ausência de luz, então, por que não acender, não pegar uma vela, não ligar a televisão? Por que não fazer algo para mudar, ainda que, para tanto, saiamos de onde estamos?
Não somos árvores para nos quedarmos eternamente inertes, no mesmo lugar, observando a mesma paisagem, convivendo com as mesmas pessoas. Se você não está vendo graça onde você está, não se sinta um “desgraçado”! Busque a graça, seja gracioso.
É pelas gargalhadas, pelos beijos, pela admiração, pela paixão que podemos sentir por alguém e pela vida que vale a pena viver. Momentos ruins passam, sofrimento passa, mas, ser alegre e ver luz na vida devem ser constantes.
Achar graça nas intempéries, rir do que não tem graça, sentir saudade de quem e de momentos que valeram a pena faz nossos dias terem mais brilho, mais astral, mais energia e, consequentemente, mais felicidade. Apaixone-se, viva bons momentos, guarde boas recordação, afinal, é o que está na nossa memória e mente que levaremos desta vida.
Vista o seu armário interior de alegria, de paixão, de amor e lembranças doces, porque se algo lhe segue após o fim da sua existência, é só o que você viveu. Você se eterniza nas lembranças que deixa e eterniza a sua vida naquelas que você leva dela. E que seu armário da alma seja maior do que o patrimônio que você deixa no mundo quando parte dele!
Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 21 de fevereiro de 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário