Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

domingo, 22 de fevereiro de 2015

O protótipo da mulher santa.

O protótipo da mulher santa.

Sobre o manjado assunto do questionar a decência da mulher que transa na primeira noite: mulher dá quando quer, quando se sente à vontade. Primeira, segunda ou décima nona noite não define moralidade, nem caráter.
Define, isso sim, quão pouco a criatura gosta de você ou, o que é pior, quão falsa ela é a ponto de querer passar-se por “santa” para conquistar a sua confiança. Tipo, a otária menospreza a sua inteligência e você, se for mais otário do que ela, acredita.
Enfim, papo de “homo sapiens para homo sapiens”, mas de fundamento! Sem hipocrisia, sem falsidade, porque o mundo não precisa de mais mulheres se fazendo de santinhas, até porque, meu amigo, mulher que não dá, voa.
Já viu alguma voando? Dar ou não dar: gosta ou não gosta de você, simples. E se quer colocar a máscara de uma santidade inexistente, desconfie: mais puta do que muita puta por aí. Abre o olho sujeito!
Não faço apologia a transar na primeira noite. Também não faço apologia a se fazer. Eu transo quando quero, porque quero e do jeito que eu quero. Simples! Antes do sexo gosto de me sentir apreciada, valorizada, admirada. Mas eu sou eu, nem todas tem esse “romantismo sexual” que eu tenho.
E daí? São putas? Não. Não são. Aliás, as mocinhas mais vadias e sem moral que conheci enrolam os caras até “apaixonar” o moço com a intenção de casar e ter uma boa vida. Quando ele é rico e interessante, né?! Quando é pobre e bonito dão de cara.
Afinal, bonito é legal, mas é pobre, daí não desperta o interesse matrimonial na moça. Arre, bicho manipulador é a mulher. Não nego. Não sou feminista, também não sou machista, mas acho que é a tolice feminina que instiga certa visão machista e medíocre de alguns.
Certa vez eu li: "Não finja orgasmo, deixe o cara saber que ele fode mal". O que isso tem a ver? Seguinte, se as mulheres pararem de vestir algumas máscaras, talvez esses pré-julgamentos imbecis terminem.
 A maioria curte manipular e acaba fomentando o machismo. Pode ser por medo, mas a situação vira um círculo vicioso tosco. Enfim, não finja orgasmo que o cara vai melhorar, ou não, assim como, não se faça de puritana só pra conquistar, que essa história de mulher pra casar ou não acaba. Mulher tem que ser inteligente, decidida e segura de si. Daí sim é pra casar, pra transar e pra viver. Pra amar, basicamente!
Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 22 de fevereiro de 2015.


Nenhum comentário:

Postar um comentário