Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

sexta-feira, 27 de março de 2015

Homens incompetentes: entendendo o lesbianismo.

Homens incompetentes: entendendo o lesbianismo.

“Os homens contam aventuras que nunca tiveram, as mulheres têm aventuras que nunca contaram. E nem contarão.” Pura verdade esta frase, mas vai entender a razão né?! Deve ser pelo machismo.
Os homens se impõe o dever de serem os "pegadores" e as mulheres o de serem discretas. Isso é ruim? Sabe que eu acho cômico! Eu acho ótimo, acho excelente. Nós mulheres não precisamos competir para ver quem tem o pinto maior, quem “come” mais, quem fode melhor. Nós temos assuntos menos “falocêntricos”, enfim.
Essa questão da nossa omissão de aventuras e situações quentes, dos amigos, dos parceiros, da família e de todos é um efeito rebote do machismo! Quanto mais machista o homem, mais a mulher se força a calar-se sobre seus "divertimentos" passados.
E o tal do “esconder” não significa que eles não tenham ocorrido ou que não continuem a ocorrer. Significa que nosso ego não se condiciona ao que os outros sabem de nós, mas o que a gente sente com o que a gente faz em segredo! Se a gente se sente bem? Pra que contar? E se não se sente? Pra que contar? Simples!
E ainda existem os que reclamam que as mulheres são manipuladoras. A gente só "responde" as "exigências" da sociedade machista: com nossa omissão. Com o tradicional ser “dama”, ser lady. Mas soltamos o nosso lado devassa quando queremos, sem precisar espalhar para nossos amigos recalcados que contam vantagem até quando não tiveram vantagem alguma. Arre, quanta tolice!
Aliás, o bicho homem é meio imaturo mesmo e, convenhamos, seguidamente egocêntrico. Diz que adora mulher, sonha em transar com duas ao mesmo tempo e, 8 em 10 deles, não satisfaz bem “satisfeito” a única mulher que tem.
É muito querer se aparecer para pouco “poder”! Filho, quem tem orgasmos múltiplos somos nós! As suas 4 ou 5 numa noite não são nada perto das nossas possibilidades. Mulher que goza bem gozado não cansa nunca, pode passar uma noite inteira transando.
Quando mais tem, mais quer. Você não amigo, você cansa, carece de sono, e etc.. E é você que acha que pode transar com duas? Faz-me rir! Só se for para as duas fazerem entre elas o que você não consegue né?! Então, pra que você? Não tem medo de chifre não? Ah, seu falocentrismo impede sua racionalidade!
Ouvi da minha depiladora historias interessantíssimas sobre o “porque” mulheres hetero se tornam lésbicas. E a razão maior é essa: uma mulher sabe cuidar da outra, mimar a outra, agradar a outra, lamber a outra, não só no sentido sexual. Dar carinho, afeto, elogios!
Tem muito homem por aí que passa o dia com a cabeça voltada para o trabalho, almoça e esquece-se da esposa, se dedica ao seu oficio, chega em casa, não elogia a mulher, não beija, não agrada, não dá um beijo excitante na boca da parceira e, à noite, na cama, quer meter para dentro da mulher como se ela fosse uma boneca inflável, como se o fato de você ter um pênis fosse fazê-la esquecer do descaso diário! Faça-me o favor? Deixe de ser imbecil.
Sexo oral? Ou tem preguiça de fazer, (afinal só quer uma gozada e dormir para recomeçar, no outro dia, sua saga em busca de condições de vida melhores para mostrar para os amigos que você tem um carrão) ou, em certos casos, tem nojinho.
Então a mulher transa pra cumprir tabela, ou se recusa e sobra à ela o infame “titulo” de chata. Pra piorar o cara vai flertar com mocinha mais nova, de repente até cativa, transa, se dedica pra abalar e sai contando para os amigos. Nem transou com a moça por tanta necessidade física, a maior necessidade de pseudohomem é a do ego!
Sendo que a mulher de verdade que tem em casa fica chupando o dedo e é, literalmente, “mal comida”. Sinceramente? Antes virar lésbica a ficar com homem incompetente que se acha gostoso. Valha-me Deus! Estou começando a entender a mudança de opção de algumas. E, quer saber? Eu acho justo. Muito justo. Justíssimo!

Cláudia de Marchi
Sorriso/MT, 27 de março de 2015.


Nenhum comentário:

Postar um comentário