Sobre o verdadeiro pecado!

Sobre o verdadeiro pecado!
"O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida." Carl Sagan

quinta-feira, 26 de março de 2015

Sobre o lado bom do amor, sobre a empolgação, sobre sorrisos e risos, sobre a falta de elogios e guampas merecidas!

Sobre o lado bom do amor, sobre a empolgação, sobre sorrisos e risos, sobre a falta de elogios e guampas merecidas!

Enquanto uma pessoa for capaz de fazer-me sorrir, gargalhar e sentir-me empolgada eu fico ao seu lado. Não me importa viver uma vida com alguém se nesta vida houver mais tédio, implicâncias, reclamações e chateações do que animo.
Fico pasma diante das reclamações de gente casada há anos! “A mulher isso”, “o meu marido aquilo”, das duas uma: se está ruim, dialogue, resolva, se está bom, não reclame. E se está ruim, mas você está junto com a pessoa: não reclame também! Ora essa, coisa chata!
Eu sou o tipo de pessoa que gosta de qualidade, não de quantidade. Se for preciso deixar de agradar, de fazer surpresas, de elogiar e de olhar para o outro com um olhar brilhante e entusiasmado para um relacionamento durar, então que seja breve, mas feliz.
Ah, mas o que é bom num relacionamento e deve se manter? A ousadia, o carinho, a atenção, o doar-se, o ser gentil, o hábito de elogiar. Acho que relacionamento algum dura sem elogios! Acredite, é pela ausência de elogio que muita gente olha para o lado.
Sabe o que a paixão inicial e a conquista têm de diferente do comodismo de uma relação duradoura? O anseio pela sua existência, logo, casais em inicio de relação elogiam mais, pois querem o amor do outro vivo. Ademais, se um toque acarinha o corpo, elogios acarinham a alma. Logo, pessoas não elogiadas, tendem a, inconscientemente, desejaram aquilo que de tão bom havia no inicio da relação com quem se apegaram e amam: a atenção, os elogios.
Logo, se não são elogiados em casa... Procuram elogios onde eles estiverem! Maridos que não elogiam suas esposas são de terceira categoria. São ruins, são incompetentes e, quiçá, egocêntricos. E, tenho certeza, eles gostam de elogios, mas olvidam do fato de que a sua mulher também gosta.
Não falo de elogios à beleza, a vaidade! Falo de elogios que denotam admiração pela forma de agir, de se posicionar e de viver da parceira. De elogios, inclusive, a forma com que lhes procuram, ao tesão que possuem, a quão gostosas são na cama. Elogio que demonstra intimidade, conhecimento, “especialidade”. Beleza todo mundo vê! Falo de elogios mais “profundos”!
Esses pseudohomens que não elogiam suas mulheres, que esquecem que o que é conquistado precisa ser cultivado são aqueles que reclamam do azedume da mulher, do fato de ela se enfiar num pote de nutella, de reclamar da desatenção (ah, dai é o tal da "minha mulher só reclama, é muito chata!").
Se ela não reclamar ou encher a boca de doce para ficar calada diante de seu agir relapso ela vai flertar por aí! Porque, acredite, a mulher escolhe pra quem olha e quem olhará pra ela! A mulher escolhe com quem transa e quem será o agraciado em meter-lhe um par de chifres!
Logo, reclame menos, mude, elogie e aprenda, porque se a sua mulher não lastimar a ausência de sua atenção é porque ela está recebendo de outro. Ou outros por aí! E, sinceramente? Eu acho é pouco!
Um par de guampas contribui para o amadurecimento de machinho que se acha, e não é! No fundo o corninho tem que agradecer ao chifre levado, pois, com certeza, é uma oportunidade de ele crescer e se tornar um homem com “h” maiúsculo.

Cláudia de Marchi

Sorriso/MT, 26 de março de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário